23 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Impunidade a repressores e lei questionável marcam semana uruguaia

Uruguay, resumen, semanal

Impunidade a repressores e lei questionável marcam semana uruguaia

Montevidéu, 27 nov (Prensa Latina) A impugnação do Comissário Parlamentar do Uruguai, Juan Miguel Petit, à proposta do governo de liberar os antigos repressores da ditadura destacou-se hoje entre as rejeições recebidas durante a semana.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Com critérios de autoridade, ele apontou importantes deficiências técnicas e inconsistências no projeto de lei promovido pelo partido Cabildo Abierto para libertar 20 ex-militares que cumprem penas por crimes graves contra a humanidade.

Seu julgamento levou a um repúdio à iniciativa por parte dos parentes coletivos dos presos e desaparecidos, cujo porta-voz Ignacio Errandonea descreveu como imoral e um precedente aberrante de que “nada acontece aqui diante dos crimes que cometeram”, que sabem onde estão todas essas vítimas.

A Frente Ampla continuou a não responder ao apelo para que o Presidente Luis Lacalles Pou e seu aliado Jullio María Sanguinetti, do Partido Colorado, ratificassem ou retificassem os relatos da imprensa que há um mês deram ao líder do CA, o Senador Geral Guido Manini, o aval para a impunidade conspirada.

Ao mesmo tempo, o ex-senador Rafael Michelini, membro da comissão pró-referendo para o referendo sobre 135 artigos da Lei de Urgência (LUC), sustentou que o governo está evitando aplicá-la em sua totalidade no caso de um resultado adverso nas urnas no referendo.

Entre os exemplos de contenção temerosa, ele citou o congelamento da tributação mensal dos altos preços dos combustíveis e o adiamento da reforma da previdência social que prolonga a idade de elegibilidade para pensões de valor insuficiente.

O Partido Socialista responsabilizou a LUC pela superlotação das prisões devido ao aumento desproporcional das penas por crimes menores, após um relatório histórico de 70 mortes atrás das grades até agora este ano; 17 homicídios, 13 suicídios; 10 catalogados como “duvidosos” e 30 de causas “naturais”, em uma população recorde de 14.000 presos.

A Associação de Defensores Públicos do Uruguai reiterou hoje 85 queixas de casos concretos de abuso policial e um aumento na violação de garantias e direitos fundamentais dos cidadãos” desde a entrada em vigor da LUC, em julho de 2020.

O sindicato citou rusgas sem justificativas disfarçadas de inspeções voluntárias, maus-tratos e agressões durante as prisões, coerção física e psicológica para obter declarações, falta de exames médicos para provar ferimentos e “violência incomum” nas casas.

E também, o semanário Brecha previu que a introdução da portabilidade do número de telefone pela Lei de Considerações Urgentes (LUC) no Uruguai gerará perdas de 11 milhões de dólares por ano para a empresa estatal Antel e mais lucros para as empresas privadas.

A LUC, os cortes orçamentários nas políticas de igualdade e gênero e a tentativa de dificultar a apresentação de queixas de violência doméstica tornam a violência contra as mulheres mais generalizada, de acordo com as legisladoras.

msm/hr/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.