16 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Questões migratórias e retirada de pensões marcam realidade chilena

Questões migratórias e retirada de pensões marcam realidade chilena

Santiago do Chile, 2 out (Prensa Latina) A crise migratória, o debate na Câmara dos Deputados sobre uma quarta retirada de pensão e o projeto de lei para descriminalizar o aborto, marcaram os acontecimentos no Chile durante a semana que terminou hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A questão migratória voltou à vanguarda depois que os Carabineros expulsaram migrantes sem documentos, em sua maioria venezuelanos, da Plaza Brasil na cidade de Iquique, ao norte, e pouco depois os manifestantes queimaram barracas, colchões, carros de crianças e outros pertences.

Os atos de violência e xenofobia provocaram o repúdio das Nações Unidas e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), assim como de grupos sociais e líderes políticos chilenos que responsabilizam o governo de Sebastián Piñera pela má administração da crise.

‘Estamos enfrentando uma vergonha nacional que efetivamente causou danos internacionais’, disse à imprensa o diretor do Instituto Nacional de Direitos Humanos, Sergio Micco.

Após o escândalo, o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, Vlado Mirosevic, anunciou sua decisão de recolher as 52.000 assinaturas necessárias para questionar o Ministro do Interior Rodrigo Delgado para explicar o plano do governo para lidar com a crise migratória e humanitária.

A Câmara dos Deputados também debateu nesta semana uma iniciativa, apresentada pela oposição, para uma quarta retirada do fundo de pensão para enfrentar a crise gerada pela Covid-19.

O projeto foi aprovado com 94 votos a favor (um a mais do que necessário), 39 contra e nove abstenções, apesar da pressão do Presidente Piñera e de vários de seus ministros sobre os legisladores do partido no poder para impedir sua passagem pelo parlamento.

Se o Senado aprovar a quarta retirada de 10% do fundo de pensão, milhões de pensionistas poderão retirar entre 1.289 e 5.650 dólares, dependendo do valor acumulado.

Outra questão que tem sido o foco de atenção no Chile nos últimos sete dias tem sido a decisão dos deputados de legislar sobre um projeto de lei para descriminalizar a interrupção voluntária da gravidez até as 14 semanas.

A proposta, adotada após um longo debate, recebeu 75 votos a favor, 68 contra e duas abstenções.

Ela deve agora ser revisada pelo Comitê de Mulheres e Igualdade de Gênero da legislatura antes de ser submetida à votação na câmara antes de ser transmitida ao Senado.

No Chile, este procedimento só é permitido em casos de não-viabilidade fetal, violação ou risco à vida da mãe, e aqueles que violarem esta disposição podem ser punidos com até cinco anos de prisão.

Com faixas e lenços verdes, as mulheres chilenas participaram de manifestações em diferentes partes do país na terça-feira para apoiar o projeto de lei, por ocasião do Dia Global de Ação pelo aborto seguro e legal.

ga/car/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.