29 de November de 2021

NOTICIAS

Blinken defenderá a retirada dos EUA do Afeganistão

Blinken defenderá a retirada dos EUA do Afeganistão

Washington, 14 set (Prensa Latina) O secretário de Estado Anthony Blinken falará hoje perante o Comitê de Relações Exteriores do Senado dos Estados Unidos para testemunhar sobre o que aconteceu no Afeganistão.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O chefe da diplomacia será questionado pelo painel sobre a retirada das forças de seu país da nação da Ásia Central, que democratas e republicanos descrevem como caótica.

É a primeira audiência pública no Senado agendada com autoridades do governo desde o mês passado, quando o presidente Joe Biden foi pego de surpresa pelo rápido colapso do governo e militares afegãos e avanço do Talibã em Cabul, disse o jornal The Hill em um relatório sobre a audiência.

Blinken é a única testemunha atualmente na lista. O porta-voz do Comitê de Relações Exteriores do Senado não adiantou o comparecimento de outras autoridades.

Nesta segunda-feira, o alto funcionário compareceu à Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, onde defendeu a ação do governo democrata.

‘Não há evidências de que ficar mais tempo, tornaria as forças de segurança afegãs ou o governo afegão mais resistentes ou autossuficientes’, disse ele.

‘Se 20 anos e centenas de bilhões de dólares em suporte, equipamentos e treinamentos não foram suficientes, o que se poderia esperar de dias, meses ou um ano depois’, acrescentou.

No Afeganistão, a ex-secretária de Estado Condoleezza Rice (r) disse no domingo que os Estados Unidos estão mais seguros do que antes dos ataques de 11 de setembro, apesar de sua preocupação com a perda de ‘olhos e ouvidos’ no país da Ásia Central após a retirada militar.

A presença de Blinken também coincide com o aviso de meios de comunicação como o The Washington Post e de políticos como o ex-presidente George W. Bush de que as ameaças terroristas contra o país podem vir mais de dentro do que de fora.

Há um mês, o Departamento de Segurança Interna advertiu que extremistas locais e ativistas antigovernamentais também poderiam ser estimulados a agir pela pandemia de Covid-19.

De acordo com fontes legislativas, citadas pelo The Hill, é esperado que hoje seja um agudo interrogatório pelos legisladores de ambos os partidos, frustrados pela partida caótica daquele país, que incluiu a evacuação por via aérea de 124 mil pessoas.

npg/lb/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.