19 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Quizás, quizás, quizás

Quizás, quizás, quizás

San Salvador, 27 jun (Prensa Latina) Além de ser uma autêntica jóia , tanto por sua trama, fotografía e atuações, a cinta Cruella é uma banda sonora de luxo em que se destaca um clássico na versão até o cansaço, mas sempre efetivo : Talvez talvez talvez...
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em particular, o filme usa a versão cantada em 1964 pela grande Doris Day com brio suficiente para ser elegante, sem cair na autoconfiança com que foi interpretada anos depois por Cake, uma banda cult na cena alternativa do final. do século.

O trailer do mais recente sucesso da fábrica Disney se passa ao som de Maybe, a versão de Joe Davis desse tipo de bolero composta em 1947 pelo músico cubano Osvaldo Farrés, inspirado nos desprezos de uma jovem cobiçada.

Dizem que, em uma noite familiar, uma linda garota foi assediada por vários pretendentes, louca para fazê-la dançar. Cada vez que alguém lhe perguntava se ela lhe daria uma dança, ela invariavelmente respondia: ‘Talvez, talvez, talvez …’.

Isso chamou a atenção de Farrés, que em uma delas começou a cantarolar o famoso ‘sempre que eu te pergunto, quando, como e onde, você sempre me responde, talvez, talvez, talvez’. Um clássico nasceu …

Considerado um dos compositores mais prolíficos de Cuba, responsável além de canções como Toda una vida, teve o mais internacional de seus sucessos, em grande parte porque conquistou o mercado anglo-saxão graças à sua versão em inglês.

Entre os cantores que o conquistaram, os lendários ‘crooners’ Bing Crosby, Nat King Cole e Julio Iglesias, o ‘soulman’ Ben E. King, as divas Sara Montiel, Celia Cruz e Jennifer López, o tenor Andrea Bocelli, o quarteto Il Divo ou o grande Paco de Lucía, entre outros.

Por sua vez, a canção também aparece no premiado filme Brokeback Mountain, com a malfadada Heather Ledger, e em filmes como Casablanca Nights, In the Mood for Love, Strictly Ballroom e outras produções da cultura pop.

Agora ele está de volta com Cruella – uma espécie de prequela do clássico animado 101 Dálmatas – que, como o próprio nome sugere, gira em torno do vilão mítico de cabelo preto e branco, interpretado por uma Emma Stone que não sucumbe à caricatura e alcança um desempenho memorável. Ajuda muito, sim, ter Emma Thompson como contraparte.

O filme se passa na Londres mais contracultural, com desenhos transgressores e cores desafiadoras como os protagonistas dessa história, que não tem muito a ver com a letra desse clássico.

Quem sabe. Talvez os responsáveis pela música a tenham associado aos anos em que a grande Doris a gravou. Mas isso é pura especulação. Só podemos dizer ‘talvez, talvez, talvez’.

(Retirado do Orb)

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.