9 de December de 2021

NOTICIAS

Brasil suspende produção da vacina CoronaVac por falta de insumos

Brasil suspende produção da vacina CoronaVac por falta de insumos

Brasília, 14 de mai (Prensa Latina) O Instituto Butantan, de pesquisas biológicas vinculado ao governo do estado de São Paulo, suspenderá a partir de hoje a produção da vacina chinesa contra o Covid-19, CoronaVac, por falta de matéria-prima no Brasil.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O centro espera que o governo chinês libere um lote de 10 mil litros do chamado insumo farmacêutico ativo (IFA) para retomar a produção, disseram as autoridades.

No final de abril, o Butantan suspendeu a embalagem do imunizante na fábrica nacional, mas as seções de rotulagem e controle de qualidade continuaram trabalhando para entregar as doses acordadas com o Ministério da Saúde.

Com a estimativa de transferência para esta sexta-feira de mais 1,1 milhão de doses do antígeno para o governo federal, não há mais material para processar em nenhuma fase da produção.

De acordo com o centro, até a chegada de novos lotes de IFA, os setores vão assumir a produção do medicamento contra a gripe.

Até amanhã, o Butantan espera a liberação de pelo menos três mil litros de IFA. No entanto, o diretor do instituto, Dimas Covas, informou que não se sabe quando a matéria-prima deve chegar.

‘Estamos esperando, pode acontecer a qualquer momento, mas por enquanto não existe essa previsão’, frisou. O governo paulista participou de reuniões com o embaixador do Brasil em Beijing para tentar facilitar a autorização de exportação de insumos.

Segundo o governador de São Paulo, João Doria, com os 10 mil litros de IFA prontos no laboratório da Sinovac, na China, para serem enviados ao Brasil, o instituto terá capacidade para produzir cerca de 18 milhões de doses da CoronaVac.

Doria atribui as barreiras às importações às constantes e ofensivas declarações do presidente Jair Bolsonaro contra a China.

‘É muito importante que a diplomacia brasileira, o ministro das Relações Exteriores, os embaixadores possam atuar para que o governo chinês libere o envio desses 10 mil litros de insumos’, frisou.

O gigante asiático é fornecedor de matéria-prima para a produção da CoronaVac, do Butantan, e também da vacina da Universidade de Oxford (Reino Unido), produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A CoronaVac corresponde a aproximadamente 75% dos imunizantes anti-Covid-19 aplicados no Programa Nacional de Imunizações (PNI), que até agora inoculou 49,6 milhões de brasileiros, em uma população total de 210.147 habitantes. Na quarta-feira, o Butantan entregou 46 milhões de doses do medicamento chinês, previstas no primeiro contrato firmado com o Ministério da Saúde para o PNI.

O Brasil acumula 430.417 e 15.433.989 infecções devido ao coronavírus SARS-CoV-2, responsável pelo Covid-19.

oda / ocs / cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.