1 de March de 2024
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Venezuela denuncia campanha da petrolífera Exxon Mobil

Venezuela denuncia campanha da petrolífera Exxon Mobil

Caracas, 11 fev (Prensa Latina) A Venezuela denunciou hoje ante a comunidade internacional o que qualificou como uma campanha maliciosa preparada e financiada pela Exxon Mobil e apoiada pelo Governo da República Cooperativa da Guiana, informou um comunicado.

A cruzada vai contra a obrigação constitucional do Estado venezuelano de estabelecer uma política abrangente, nas áreas de fronteira terrestre, insular e marítima, para preservar, por meio das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas, sua integridade territorial, soberania nacional e a defesa da pátria, afirmou.

Essa campanha, disse, não passa de “um ardil” para fugir da responsabilidade que lhe corresponde, tendo em vista as declarações escandalosas de seu presidente, Alistair Routledge, que, além de substituir a soberania da Guiana, ousou fazer julgamentos ameaçadores.

O texto assinalou que “se alegra com a presença de potências militares em um mar não demarcado”, onde receberam concessões ilegais de petróleo, algumas delas localizadas em uma área marítima “incontroversamente venezuelana”.

A Venezuela deixa claro para a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) que as ações da Exxon Mobil e do governo da Guiana “violam os princípios fundamentais do direito internacional e constituem uma agressão que busca desestabilizar a região”, disse ele.

Ele observou que isso viola os recentes acordos firmados em Argyle, São Vicente e Granadinas, e que se soma à constante retórica provocativa, acompanhada de declarações recorrentes dos porta-vozes do Departamento de Defesa dos EUA e do Comando Sul dos EUA, que se instalaram permanentemente na Guiana.

A República Bolivariana reserva-se o direito de tomar medidas diplomáticas e todas as ações no âmbito do direito internacional para fazer valer seus direitos e insta a Guiana a assumir seus compromissos, especialmente aqueles contidos no Acordo de Genebra de 1966.

O único instrumento válido entre as partes para encontrar uma solução para a disputa territorial entre os dois países, destacou o comunicado.

Em 14 de dezembro do ano passado, os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e Irfaan Alí, da Guiana, realizaram uma reunião em Argyle e emitiram uma declaração conjunta na qual se comprometeram com a paz e a coexistência pacífica entre os dois Estados.

Essa reunião foi promovida pelas presidências da Celac e da Comunidade do Caribe, e contou com o apoio das Nações Unidas, do governo brasileiro e de outras autoridades da região.

oda/jcd/mb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.

EDICIONES