26 de May de 2024
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

CIA e também Nixon após o golpe militar no Chile, segundo arquivos

CIA e também Nixon após o golpe militar no Chile, segundo arquivos

Washington, 29 ago (Prensa Latina) Se um elemento permanece claro hoje, após uma desclassificação parcial dos documentos sobre o golpe militar no Chile em 1973, é o papel não apenas da CIA, mas também do então presidente dos EUA, Richard Nixon.

A administração Nixon (1969-1974) esteve intimamente envolvida nos esforços para impedir que Salvador Allende assumisse o poder em 1970 e na subsequente derrubada do seu governo em 11 de setembro de 1973, afirmou um artigo publicado no site da Commonwealth.

Os arquivos que vieram à tona são relatórios diários que Nixon (1969-1974) recebeu no dia do golpe contra o governo de Unidade Popular e três dias antes daquele acontecimento que mudou a história do Chile.

“Vários relatórios foram recebidos…indicando a possibilidade de um golpe militar precoce”, afirmou um relatório diário de Nixon em 8 de setembro de 1973, observando que “Homens da Marinha conspirando para derrubar o governo agora exigem o apoio do exército e da força do ar”.

Nixon, que certa vez ordenou à CIA que “fizesse a economia (chilena) gritar”, também recebeu um briefing diário no dia do golpe, pouco antes da deposição de Allende, recordaram os noticiários.

“Os planos dos oficiais da Marinha para lançar uma ação militar contra o governo Allende têm o apoio de algumas unidades-chave do exército”, observou ele no relatório do 11 de Setembro.

“A Marinha também conta com a ajuda da Força Aérea e da Polícia Nacional”, afirmou.

Liderados pelo General Augusto Pinochet, os militares chilenos assumiram o controlo do governo e o que se seguiu foi um reinado cruel de terror e repressão que deixou dezenas de milhares de pessoas assassinadas, torturadas ou desaparecidas.

Como a CIA admitiu num relatório de 2000, “muitos dos oficiais de Pinochet estiveram envolvidos em abusos sistemáticos e generalizados dos direitos humanos…eram contatos ou agentes da agência ou dos militares dos EUA”.

Pinochet foi preso em 1998 e acusado, mas morreu antes de ser julgado, observou a publicação.

A congressista Alexandria Ocasio-Cortez, membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos por Nova Iorque, fez lobby para a divulgação de “todas as informações” no Departamento de Estado, na CIA e no Pentágono detalhando o envolvimento do seu país naquele motim.

Em julho, a congressista apresentou uma emenda ao projeto de lei anual de política militar para esse fim, mas o Comitê de Regras da Câmara, controlado pelos republicanos, bloqueou a votação.

Para Ocasio-Cortéz “é hora de os Estados Unidos reconhecerem a sua história de contribuição para a mudança de regime e desestabilização na América Latina” e assumirem total responsabilidade pública “pelo nosso papel histórico”.

ode/dfm/ls

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.

EDICIONES