12 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Voto de confiança, pomo da discórdia na França

Francia-voto-de-confianza

Voto de confiança, pomo da discórdia na França

Paris, 2 jul (Prensa Latina) Tradição, mas não obrigatória, o voto parlamentar de confiança no ocupante do cargo de primeiro-ministro na França é atualmente um pomo de discórdia, resultado do revés do partido no poder nas eleições legislativas.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Os partidários do presidente reeleito em abril, Emmanuel Macron, não conseguiram a maioria absoluta na Assembleia Nacional no mês passado, o que gera entre suas consequências a fragilidade da primeira-ministra Elisabeth Borne, sitiada pela oposição.

No centro da polêmica está o voto de confiança, que em condições normais seguiria a declaração de política que Borne fará na quarta-feira em sessão extraordinária da Câmara, onde apresentará as prioridades de trabalho do governo para o segundo quinquênio da administração de Macron.

A convocação da sessão parlamentar no Diário da República não contempla este procedimento, uma tradição da V República, que teve início em 1958, sem estar registrado na Constituição como uma etapa obrigatória.

Há poucos dias, o líder da La France Insumisa, Jean-Luc Mélenchon, exortou o primeiro-ministro a solicitar um voto de confiança da Assembleia, ou enfrentar a ameaça de uma moção de censura.

É verdade que não é obrigatório, mas os grupos parlamentares poderiam apresentar a moção, que se aprovada derrubaria o governo, sublinhou.

No entanto, no Hotel de Matignon, sede do primeiro-ministro, e do executivo apostam no suspense, pelo que o que vai acontecer na quarta-feira no Palais de Borbón, instância de 577 lugares em que ficou o partido no poder, permanece indefinido. cerca de 40 deputados para alcançar o controle absoluto.

Não tomaremos uma decisão com pressa, devemos refletir antes, explicou Borne, enquanto a porta-voz do governo Olivia Grégoire disse à rede de TV BFM que ainda não há definição a esse respeito.

A opinião pública parece favorável à manutenção da primeira-ministra no cargo, embora ao mesmo tempo considere que ela deve se submeter ao voto de confiança dos deputados, segundo um levantamento da Odoxa Backbone Consulting para o jornal Le Figaro, divulgado ontem.

A pesquisa mostrou que 51% dos franceses apoiam a continuidade, enquanto 66 defendem o agora controverso voto de confiança.

Macron está em um caminho incerto, a menos que consiga concordar com forças na Assembleia Nacional que lhe garantam a maioria absoluta.

O chefe de Estado é apenas o segundo da V República a lidar com a falta de controle absoluto na Assembleia, depois que François Mitterrand enfrentou esse cenário em 1988.

car/wmr/ans

PL-28 2022-07-02T05:03:06

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.