8 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Ramiro Guerra mora nas raízes e tronco da dança em Cuba

Cuba-danza-Ramiro-Guerra

Ramiro Guerra mora nas raízes e tronco da dança em Cuba

Havana, 29 de junho (Prensa Latina) Ramiro Guerra (1922-2019) é o pai da dança moderna em Cuba e como precursor desse movimento continua hoje em seu centenário, não mais no plano onde as coisas não são feitas para continuar .
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“Sinto-me parte da cadeia histórica da nossa dança como diretora do meu trabalho. Sentir-se parte dela é sentir-se nas raízes e parte do tronco”, disse o professor ao ser entrevistado pelo pesquisador Fidel Pajares.

A frase foi perpetuada em uma placa comemorativa que, nas proximidades da Sala Covarrubias do Teatro Nacional de Cuba, eterniza o fundador da dança moderna e criador dos primeiros elementos da teoria da especialidade na nação.

No entanto, a expressão torna necessário não circunscrever Guerra a esses termos e mostra o interesse do bailarino e coreógrafo em não ficar com o nome de gestor de um evento ou descobridor de uma estética, mas ir mais longe.

Para ele era essencial conhecer e aplicar ao corpo cubano, sua psicologia e modo de se mover, aqueles orçamentos estéticos e técnicas existentes que mais tarde acabaram por moldar a “dança nacional” com sua própria essência.

No local mágico, que acolheu o primeiro programa do Conjunto Nacional de Dança Moderna sob a sua direcção, um grupo de amigos, colegas e alunos reuniram-se para desvelar o emblema e prestar homenagem ao ilustre académico.

Foi uma manhã de homenagem ao Mestre Ramiro Guerra recebeu homenagens de outros mestres que muito lhe agradecem e o lembram em anedotas, recolhidas no documentário Ramiro…sempre a dança, de Yuris Nórido e Adolfo Izquierdo.

Santiago Alfonso e Alberto Méndez, Isabel Monal, Isidro Rolando, Luz María Collazo, Miguel Iglesias, Eduardo Arrocha foram algumas das figuras presentes no evento e que deram voz às notas audiovisuais de Izquierdo e Nórido.

O material fala de um homem humano e divino, se a contradição for possível; de um estudioso incansável que, embora tenha alcançado uma estética genuína, teve que enfrentar preconceitos, ridículos e desentendimentos familiares ao longo do caminho.

Ramiro visitou os Estados Unidos, recebeu as contribuições da dança mexicana através de Elena Noriega, encenou obras de Federico García Lorca, estudou Fernando Ortiz, Stanislavski, Brecht, Chejov e Grotowski.

O conhecimento adquirido com bailarinos, coreógrafos e professores díspares, ele trouxe para a ilha junto com Doris Humphrey, José Limón, Martha Graham e moldou os elementos aqui e então “dança foi feita”.

“Uma das características que acredito que nos une a todos é a de buscar a renovação, mas sempre absorvendo tudo o que é estrangeiro, tudo o que está acontecendo no mundo, para depois transformar em nosso modo de sentir como cubanos”, disse Guerra em comunicado chance.

Essas palavras constituem a essência da dança moderna em Cuba, seu maior legado que perdura nas novas gerações de bailarinos, na ilha.

vk/ms/glmv

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.