13 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Violência atinge novamente a população árabe-israelense

violencia-atinge-novamente-a-populacao-arabe-israelense

Violência atinge novamente a população árabe-israelense

Tel Aviv, 25 jun (Prensa Latina) Um jovem árabe-israelense foi assassinado hoje perto da cidade de Haifa, no Norte, no último episódio de violência que atinge essa minoria neste país, onde pelo menos 45 pessoas perderam a vida desde janeiro.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Vários jornais e emissoras de televisão informaram que Muhammad Khamis Ammash, 24, morreu na madrugada deste sábado na cidade costeira de Jisr al-Zarqa. Fontes informaram que a vítima foi baleada quando estava em seu carro próximo ao estádio municipal.

O jornal Israel Hayom noticiou que ontem à noite um homem e uma criança foram feridos por facadas na cidade de Ein Nakuba, localizada no centro do país e habitada por árabes.

Quase simultaneamente, outro jovem árabe-israelense foi baleado e ferido em um tiroteio na cidade de Taibeh.

Em 2021, mais de 120 membros dessa minoria foram assassinados nesta nação, um número recorde na história recente do país.

As comunidades árabes têm experimentado um aumento da violência nos últimos anos, alimentado principalmente pelo crime organizado, em meio a críticas à inação da polícia em lidar com o problema.

Altas taxas de desemprego, pobreza e outros fatores sociais também são causas do flagelo, de acordo com vários estudos.

Os descendentes dos palestinos que não foram expulsos de suas terras após a criação do Estado judeu em 1948 denunciaram desde então que são tratados como cidadãos de segunda classe.

Atualmente, eles somam 1,9 milhão de pessoas, quase 21% da população total deste país.

Uma pesquisa realizada em março passado revelou que 94% dos árabes que vivem em Israel sofreram em algum momento com o racismo e a discriminação da maioria judaica.

De acordo com uma pesquisa do Centro de Religião, Nação e Estado, 69% disseram que foram submetidos a racismo e discriminação em locais públicos, enquanto 41% estavam em instituições acadêmicas.

A ONG Sikkuy garante que uma das principais razões para as diferenças entre os cidadãos árabes e judeus é a distribuição desigual dos recursos do Estado.

Sikkuy destacou em seu relatório anual de 2020 que 14,5% das famílias judias vivem abaixo da linha da pobreza, enquanto entre as famílias árabes o flagelo chega a 45,3%.

car/rob

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.