2 de July de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Leituras após a visita do mediador norte-americano ao Líbano

Amos-Hochstein-1

Leituras após a visita do mediador norte-americano ao Líbano

Beirute, 15 jun (Prensa Latina) O mediador norte-americano Amos Hochstein concluiu sua visita ao Líbano e o cenário político amanheceu hoje na expectativa de uma resposta de Israel sobre a demarcação das fronteiras marítimas.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Durante dois dias, o diplomata norte-americano ouviu a posição unificada das autoridades libanesas sobre o direito soberano de investir em suas riquezas de petróleo e gás diante das manobras exploratórias israelenses.

A posição expressa pelo Presidente da República, Michel Aoun e posteriormente ratificada pelo Primeiro Ministro Interino Najib Miqati e pelo chefe do Parlamento, Nabih Berri, exigiu a cessação direta de todas as atividades navais de Israel na área disputada.

Hochstein, sem uma nova proposta, cumpriu seu papel de mediador dedicando seu tempo à escuta e em entrevista ao canal Al-Hurra, expressou otimismo com o futuro das negociações e o consenso nacional de que a solução para a crise libanesa “está intimamente relacionado com o expediente petroleiro”.

De acordo com o site Al-Akhbar, as três principais figuras do estado, governo e legislatura defenderam a linha 23 com acesso total ao campo de Qana e à riqueza petrolífera dentro dos blocos fronteiriços.

A nação dos cedros manifestou interesse em iniciar o processo de exploração em sua zona econômica sul e reiterou a Hochstein seu compromisso de retornar às negociações indiretas com Tel Aviv sobre limites territoriais.

Relatos locais dizem que entre o Líbano e Israel existe uma zona rica em petróleo e gás em disputa de cerca de 860 quilômetros quadrados, segundo mapas depositados pelos dois países perante as Nações Unidas.

Durante uma das conversas no passado, a delegação libanesa apresentou um novo mapa defendendo mais 1.430 quilômetros, o que levou à suspensão das negociações por parte de Israel.

As reuniões indiretas começaram em outubro de 2020 sob os auspícios das Nações Unidas e com a mediação dos Estados Unidos e até maio de 2021 foram realizadas cinco rodadas de negociações.

Uma parte do campo de Karish, hoje fonte de disputa, é considerada pelos libaneses como parte da fronteira marítima meridional, daí a rejeição das manobras realizadas na área pela plataforma de exploração grega ao serviço de Israel desde a última semana.

Um artigo no Al Mayadeen em espanhol do jornalista Roberto Inlakesh apontou a incorreção de localizar o campo Karish a oeste de Haifa, já que o campo de gás está geograficamente mais ao norte da cidade palestina, ocupada por Israel.

O comentarista destacou que Tel Aviv já explora os recursos de todos os outros depósitos na costa da Palestina ocupada chamada do Leviatã e por muito tempo parou as ambições sobre os recursos naturais do único campo que é reivindicado como parte do território libanês.

Segundo o jornalista Inlakesh, Israel tem o apoio de Washington na questão da riqueza hídrica, especificamente no depósito de Karish, pois garantiu que “os Estados Unidos impedem que o Líbano e a Síria se beneficiem de seus próprios recursos”.

Nesse contexto, o secretário-geral do Hezbollah (Partido de Deus), Hassan Nasrallah, reiterou antes da visita do mediador Hochstein a Beirute as capacidades financeiras, militares e de segurança da resistência para impedir a exploração das riquezas do Líbano por Israel.

oda/yma/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.