20 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Frente Ampla contra projeto de jornada estendida na Costa Rica

Frente Ampla contra projeto de jornada estendida na Costa Rica

San José, 2 de jun (Prensa Latina) O partido Frente Ampla (FA) garantiu que não vai negociar ou aceitar uma proposta de horário estendido que precariza as condições dos trabalhadores na Costa Rica.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“Nossa intenção é ouvir os argumentos, apresentar nossos argumentos, nunca abrir mão de que através do diálogo possamos raciocinar sobre esse assunto”, disse a vice-chefe da bancada da FA na Assembleia Legislativa, Sofía Guillén, consultada nas mesas de diálogo organizadas pelo o Executivo nesse projeto legal.

A iniciativa busca legalizar na Costa Rica 4×3 jornadas de trabalho (12 horas de trabalho por quatro dias consecutivos e três dias de folga), em que o Poder Executivo convocou na terça-feira diferentes atores políticos, sindicais e sociais para conhecer suas posições.

Nessa reunião, a bancada da Frente Ampla – além de Guillén, também participou o chefe do grupo legislativo da FA, Jonathan Acuña – fez o pedido expresso de incluir os grupos de mulheres na discussão, porque são os mais afetados por um longo trabalho horas.

A Frente lembrou que ainda não há acordos após a primeira reunião e convocou um debate de alto nível, com argumentos e estudos que sustentem cada posição, antecipando que apresentará dados e estudos sobre os efeitos da jornada estendida de 12 horas na a saúde física e a dinâmica mental e familiar.

Acuña ressaltou que toda essa discussão deve ocorrer com um foco claro de respeito aos trabalhadores e considerar as tendências globais, já que outros países estão discutindo é a redução da jornada de trabalho.

Nesse sentido, o Bloco Sindical e Social Unitário da Costa Rica (Bussco) afirmou nesta quarta-feira que a tentativa de eliminar a jornada de trabalho de oito horas na Costa Rica constitui um retrocesso de 100 anos e uma forma de escravidão.

“A jornada de oito horas e seu slogan: oito horas de trabalho, oito horas de lazer e oito horas de sono custam prisão, sangue e até a vida dos trabalhadores e eliminá-la é uma afronta política à classe trabalhadora”, disse Bussco.

Considerou que este projeto é uma política criminosa e predatória dos direitos trabalhistas, do uso intensivo da força de trabalho e uma lógica que busca reduzir os custos de produção com sacrifício de renda, saúde ocupacional e bem-estar dos trabalhadores e suas famílias.

Da mesma forma, continuou, frustra oportunidades de melhoria e mobilidade social para quem trabalha para poder estudar, condenando as pessoas à estagnação e não melhorando suas condições econômicas e sociais.

Além disso, acrescentou, provoca maior desemprego, porque em vez de contratar três trabalhadores usariam dois para cobrir 24 horas, e afirmou que a iniciativa legal é inconstitucional porque desmantela o Estado de Direito.

jf/ale / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.