27 de June de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Hostilidade dos EUA em relação a Cuba, Nicarágua e Venezuela

hostilidade-dos-eua-em-relacao-a-cuba-nicaragua-e-venezuela

Hostilidade dos EUA em relação a Cuba, Nicarágua e Venezuela

Havana, 27 de maio (Prensa Latina) O presidente boliviano Luis Arce afirmou hoje que a exclusão de Cuba, Nicarágua e Venezuela da Cúpula das Américas confirma a falta de vontade de Washington de mudar sua hostilidade em relação a esses países.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“O veto de Washington mostra que, apesar da retórica a favor da democracia e dos direitos humanos, não há vontade real das autoridades daquele país de mudar sua política hostil para com governos que não se subordinam honrosamente aos seus interesses”, assegurou.

Falando na XXI Cúpula da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América-Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP), Arce advertiu que a única coisa que esta decisão arbitrária consegue é enfraquecer a institucionalidade do mencionado fórum continental.

Lembrou que Cuba é vítima dessa hostilidade há seis décadas, e hoje a Venezuela e a Nicarágua também sofrem as consequências de optar soberanamente por um caminho diferente do traçado pela Casa Branca.

“Podemos dizer que os Estados Unidos recorrem a qualquer tipo de instrumento para sancionar os países que decidem seguir um caminho diferente de seus mandatos”, reiterou o presidente.

“Do Estado Plurinacional da Bolívia, em consonância com os princípios de nossa Constituição Política do Estado e a diplomacia dos povos, rejeitamos veementemente a exclusão dos povos irmãos da IX Cúpula das Américas”, reafirmou.

Diante dos delegados à reunião do bloco de integração, Arce reiterou que não participará do fórum de Loa Angeles até que todos os governos latino-americanos e caribenhos sejam convidados em condições de plena igualdade hierárquica.

“Nenhum país pode assumir o direito de decidir quem faz ou não parte do nosso continente americano”, enfatizou o dignitário, “nem qualquer organização internacional como a Organização dos Estados Americanos pode servir única e exclusivamente aos interesses hegemônicos de uma única nação. ”

Durante o discurso, o chefe de Estado boliviano reiterou a exigência de que cessem todas as formas de hostilidade contra os povos do que chamou de nossa América.

Afirmou que as políticas de sanções, embargos e bloqueios só trazem sofrimento à região, especialmente aos setores mais humildes, e observou que esses efeitos se acentuaram no contexto da pandemia de Covid-19.

“É hora de o governo dos Estados Unidos acabar com o insensato bloqueio econômico, comercial e financeiro que pesa sobre Cuba, bem como as mais de 500 sanções coercitivas unilaterais impostas à Venezuela e à Nicarágua”, insistiu o presidente.

O presidente boliviano concluiu com a advertência de que “com bloqueios e sanções, nunca será possível construir um futuro sustentável, resiliente e equitativo no hemisfério, como proposto pela próxima Cúpula das Américas”.

mem/jpm/glmv

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.