27 de June de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Com atraso, terrorismo e seca, Somália busca presidente

Com atraso, terrorismo e seca, Somália busca presidente

Mogadíscio, 15 mai (Prensa Latina) Com 15 meses de atraso, a ameaça de grupos armados extremistas e a seca, os membros do Parlamento Federal da Somália têm hoje a tarefa de escolher o presidente do país entre quase quatro dezenas de candidatos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Nem mesmo o atual toque de recolher em Mogadíscio, a capital, é garantia suficiente para evitar que comandos do grupo militante Al Shabaab realizem ataques nas proximidades da tenda Aficio, onde a votação provavelmente acontecerá em dois turnos.

Os 54 membros do Senado e os 275 membros da Câmara Baixa estarão sob custódia das tropas da Missão da União Africana na Somália. O local é um hangar militar ligado ao Aeroporto Internacional de Aden-Adde.

Embora ninguém espere milagres, depois de viver em um país com mais de três décadas de instabilidade política, vários setores esperam que seja escolhido alguém que consiga tirar o país da encruzilhada.

Não está claro quem pode ser eleito. O atual presidente Mohamed Abdullahi “Farmajo” está entre os possíveis favoritos, mas primeiro ele deve quebrar a tradição de que nas cinco eleições anteriores ninguém foi reeleito.

Mesmo os ex-chefes de Estado Hassan Sheikh Mohamud (outro que poderia fazer pender a balança) e Sheikh Sharif Ahmed teriam primeiro que trilhar um novo caminho antes de recuperar o cargo.

A maioria dos 39 candidatos presidenciais, embora haja rumores de que dois se retiraram para apoiar outros, são praticamente desconhecidos na política local. Apenas uma do total é mulher: Fawzia Yusuf Haji Adam.

Para o portal da Somaliguardian, é provável que menos de 10 candidatos passem por uma segunda votação, já que é improvável que algum venha a capitalizar a favor de metade mais um dos 329 deputados.

Entre os citados pela fonte estão Farmajo, cujo mandato expirou em abril do ano passado sem encontrar sucessor, já que a reunião de janeiro de 2021 teve sucessivos adiamentos até este domingo.

Ao trio se juntaria o ex-presidente Mohamud (que conta com o apoio de vários deputados que a priori estavam com o atual governante) e o presidente do estado regional de Puntlandia, Saeed Abdullahi Deni, que se concentrou em um discurso um tanto ambíguo de estabilidade política e econômica.

Até alianças de última hora podem ocorrer e não são descartadas até o pagamento de propina monetária ou a promessa de cargo.

Independentemente de quem for escolhido, o novo chefe de Estado deve tentar imediatamente impedir as ações quase livres do grupo militante Al Shabaab nas áreas rurais do centro e sul do país, e um aumento de seus ataques na capital.

Como se não bastasse, terá que enfrentar a ameaça de seca que paira sobre sete de seus quase 16 milhões de habitantes em um contexto de parcos recursos nos cofres do Estado de um país atolado na ingovernabilidade desde a derrota do falecido presidente Mohamed Siad Barre em 1991.

Os parlamentares têm a última palavra e o escolhido terá quatro anos para provar se foi a carta certa.

mem/ro/hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.