27 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Israel é acusado de crime de guerra por expulsar palestinos

Israel é acusado de crime de guerra por expulsar palestinos

Ramallah, 9 de maio (Prensa Latina) O ministro palestino da Justiça, Muhammad Shalaldeh, qualificou como crime de guerra a iminente expulsão de cerca de 1.200 habitantes de várias aldeias no sul da Cisjordânia pelas forças de segurança israelenses.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Durante uma conferência de imprensa, o funcionário pediu ao Tribunal Penal Internacional que inicie uma investigação imediata sobre as contínuas violações cometidas por Tel Aviv.

É necessário responsabilizar e processar aqueles que cometem esses crimes, desde “o primeiro-ministro até os colonos e soldados”, disse Shalaldeh.

Ele enfatizou que a Quarta Convenção de Genebra de 1949 proíbe o deslocamento da população civil de suas terras por uma potência ocupante.

Nosso povo tem o direito de resistir, conforme refletido nos princípios e normas do Direito Internacional, sublinhou.

Shalaldeh confirmou que seu ministério fornecerá toda a ajuda jurídica possível aos habitantes da área de Masafer Yatta, no sul da Cisjordânia.

Após 23 anos de processos judiciais, a Suprema Corte de Israel rejeitou na semana passada um pedido daqueles que buscavam impedir a expulsão de suas terras, usadas pelo Exército como campo de tiro.

A decisão foi criticada pela ONU, União Europeia e vários países porque abrirá caminho para um dos maiores deslocamentos de palestinos desde a guerra de 1967.

Esta decisão é mais um exemplo da parcialidade do tribunal, afirmou Nidal Abu Younis, prefeito de Masafer Yatta, que garantiu que seus moradores não vão abandonar suas casas.

A Associação pelos Direitos Civis em Israel falou de forma semelhante, alertando que este veredicto terá consequências sem precedentes no futuro.

Ao justificar sua sentença, o tribunal afirmou que os habitantes daquele território não eram residentes permanentes quando os militares israelenses ocuparam a área.

Essa tese é rejeitada por palestinos e grupos de direitos humanos quando lembram que moravam lá antes da guerra de 1967.

mgt/rob/glmv

ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.