26 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Chamados à unidade marcam no Panamá manifestações pelo 1º de maio

Chamados à unidade marcam no Panamá manifestações pelo 1º de maio

Cidade do Panamá, 01 mai (Prensa Latina) Chamados à unidade popular para enfrentar as políticas neoliberais dos governos no poder e as reivindicações trabalhistas marcam hoje as manifestações no Panamá em saudação ao Dia Internacional dos Trabalhadores.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Os participantes da mobilização nesta capital, concentrada no emblemático Parque Belisário Porras, marcharão em direção à central Plaza 5 de Mayo, junto à Assembleia Nacional (Parlamento) para reivindicar os direitos da classe trabalhadora, como salários justos que permitam enfrentar os altos custos de vida, de acordo com a chamada.

A Confederação Nacional da Unidade Sindical Independente (Conusi) também convocou seus filiados a manifestarem na rua a vontade de remover todos os obstáculos que promovem o bem-estar social na nação do canal.

Por sua vez, o Sindicato Único dos Trabalhadores da Indústria da Construção e Similares (Suntracs) pediu a paz mundial, ao mesmo tempo em que rejeitou uma visita ao país para participar de uma reunião de chanceleres da América Central e do Caribe, o chefe da diplomacia europeia Josep Borrell, que qualificam como promotores do nazi-fascismo no mundo.

O partido de esquerda Frente Ampla pela Democracia e o Frente Nacional de Defesa dos Direitos Econômicos e Sociais (Frenadeso) também destacaram que entre as novas demandas destacam-se o seguro-desemprego e a justiça para os pobres.

Em comunicado ao qual a Prensa Latina teve acesso, o Partido do Povo (PP), que reúne comunistas panamenhos, se solidarizou com a luta e resistência dos povos, em particular dos trabalhadores, que defendem sua soberania e autodeterminação.

Na mensagem, eles saúdam processos transformadores na região, em que forças progressistas avançam em inclusão social, igualdade de gênero e direitos humanos, como Bolívia, Cuba, Chile, Nicarágua e Venezuela.

O PP também elogiou a resistência contra a repressão de extrema direita de nações como Colômbia e Brasil.

A organização política fundada em abril de 1930 também denunciou que o Covid-19 expôs os inimigos do povo panamenho, a oligarquia financeira e a burguesia corrupta e exploradora que usou a emergência sanitária desde 2020 para enriquecer ainda mais às custas do tesouro público.

Condenaram também o Executivo por uma diplomacia aliada com os Estados Unidos e a OTAN-, agora contra a Rússia em meio ao conflito na Ucrânia-, em detrimento da política de neutralidade endossada pela Carta Magna, e instaram a construção de uma alternativa popular que permitiria refundar o Estado e salvar a nação.

Nesse sentido, as organizações sociais e movimentos populares panamenhos reiteraram neste 1º de maio a urgência de “criar uma grande Frente de Ação Comum, antineoliberal e patriótica para derrotar aqueles que nos excluem, exploram, ignoram, oprimem e que se apoderaram do aparato estatal para servir a si mesmo e não para nos servir”.

jha/ga/hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.