24 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Terrorismo nazista na Ucrânia

1122790774_0-0-3000-1993_1440x900_80_0_1_200388807d82d7b1ea571ec8dd780b19.jpg-300x199

Terrorismo nazista na Ucrânia

Washington, 7 Abr(Prensa Latina) A ligação entre os atos de terrorismo dos Estados Unidos e o Batalhão Azov ucraniano é clara, como noticiou hoje o site digital www.strategic-culture.org.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Uma análise detalhada “Nazis na Ucrânia: vendo através da névoa da guerra de informação” do jornalista irlandês Finian Cunningham revela as ações do fascismo na Ucrânia e a cumplicidade ocidental, especialmente dos Estados Unidos com esses grupos.

Embora a Ucrânia possa parecer uma terra distante para os americanos, na verdade é um centro importante para o movimento fascista global, observou a fonte, afirmando que o apoio transnacional a Azov é muito generoso e a Ucrânia se tornou o centro da extrema direita do mundo inteiro.

Mercenários de todos os continentes foram documentados se juntando às unidades do batalhão Azov em busca de experiência de combate, acrescentou.

A análise especificou que, em uma investigação do início de 2021, a revista Times descobriu que “Azov é muito mais do que uma milícia. Tem seu próprio partido político; duas editoras; acampamentos de verão para crianças; e uma força vigilante conhecida como Milícia Nacional, que patrulha as ruas das cidades ucranianas junto com a polícia.”

“Além disso, acrescentou o Times, tem uma ala militar com pelo menos duas bases de treinamento e um vasto arsenal de armas, de drones e veículos blindados a peças de artilharia… Olena Semenyaka, diretora internacional de Azov, disse a repórteres do Times: poderíamos nos descrever como um pequeno estado dentro de um estado.”

Cunningham em sua avaliação cita Ali H. Soufan, um ex-agente libanês-americano do FBI que esteve envolvido em vários casos antiterroristas, que forneceu elementos sobre as ações de grupos nazistas na Ucrânia.

Segundo Soufan mais de 17 mil combatentes estrangeiros chegaram a Ucrania nos últimos seis anos vindo de 50 países e em 2019, legisladores estadounidenses escreveram uma carta ao Departamento de Estado em que afirmavam que “o vínculo entre Azov e os atos terroristas nos Estados Unidos está claro”.

A análise especificou que as informações do FBI afirmavam que Azov “participou no treinamento e radicalização de organizações supremacistas brancas sediadas nos Estados Unidos”.

Isso, acrescentou, incluiu membros do Movimento Rise Above, que foram acusados de atacar e agredir violentamente contra-manifestantes antifascistas.

Cunningham concluiu que o governo Biden chegou ao poder como um suposto baluarte contra a disseminação do fascismo no país, e agora dá continuidade à política norte-americana de apoio às forças neonazistas em um dos principais centros do fascismo internacional, a Ucrânia.

jcm/lb/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.