17 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Ocidente tenta demonizar os militares russos

Rusia, Occidente, ejército, ruso

Ocidente tenta demonizar os militares russos

Moscou, 5 abr (Prensa Latina) A embaixada russa nos Estados Unidos denunciou hoje em seu canal Telegram que o Ocidente pretende demonizar as Forças Armadas de seu país com falsas acusações de crimes na Ucrânia.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“A provocação na cidade de Bucha é a raiz da mentira e do cinismo. Em Washington, ao não se ter evidências, imediatamente assumiram o cargo de fiscais e começaram a apontar os culpados”, disse o chefe da missão diplomática russa em Washington, Anatoly Antonov.

Isso significou que, contrariamente a essas acusações, os militares russos estão aumentando cada vez mais a assistência humanitária nas áreas controladas da Ucrânia, entregando centenas de toneladas de alimentos, remédios e itens essenciais para atender às necessidades da população civil.

Enfatizou que as tropas de Moscou também são responsáveis por garantir a segurança dos corredores humanitários para a evacuação de ucranianos e cidadãos estrangeiros.

“Os colegas estadunidenses devem prestar atenção e impedir a indiferença criminal frente às ações dos batalhões nacionalistas que continuam a bloquear civis nas cidades, abrir fogo contra refugiados indiscriminadamente, aterrorizar e torturar todos aqueles que não compartilham sua ideologia nazista”, destacou Antonov.

Ontem, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, afirmou que, infelizmente, as tentativas dos países ocidentais de politizar e até especular sobre questões humanitárias na Ucrânia não pararam.

Em uma reunião em Moscou com o subsecretário-geral das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Martin Griffiths, Lavrov descreveu os sucessos de Bucha como “um falso ataque” e estimou que havia um cenário em que a Ucrânia e o Ocidente divulgavam todos os canais e em todas redes sociais possíveis.

“Outro ataque falsificado foi lançado na cidade de Bucha, região de Kiev, de onde os militares russos partiram, de acordo com os aviões e acordos alcançados”, afirmou.

O ministro das Relações Exteriores explicou que os militares de seu país deixaram esta cidade no dia 30 de março e no dias 31 o seu prefeito disse que tudo estava bem. “A partir de dias posteriores vimos como a mesma produção foi organizada nas ruas, que agora tenta usar multas anti-russas”, disse ele.

Lembrou que há semanas tentam encenar um crime do exército russo em uma maternidade em Mariupol. “Como esperado, as intenções se deram com um propósito abertamente provocativo, e os materiais falsos que foram apresentados foram expostos”, alertou.

A noite, sábado, foram divulgadas imagens de corpos caídos nas ruas de Bucha, alguns com as mãos amarradas. Por sua vez, o assistente do gabinete do Presidente da Ucrânia, Mikhail Podoliak, afirmou que os civis “foram desarmados”, “não representavam nenhuma ameaça para ninguém” e “foram mortos a tiros por soldados russos”.

No domingo, o Ministério da Defesa russo considerou as imagens uma provocação e denunciou que se tratava de um cenário criado para a mídia ocidental.

Esclareceu que todos os soldados russos deixaram esta cidade em 30 de março, enquanto as imagens foram transmitidas quatro dias depois, quando membros do Serviço de Segurança ucraniano e da televisão local chegaram à cidade.

Segundo a agência militar russa, os relatórios “confirmam efetivamente que as fotos e vídeos de Bucha são encenações do regime de Kiev para os meios de comunicação ocidentais, como aconteceu em Mariupol com a maternidade, assim como em outras cidades”.

acl/mml/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.