17 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Um Protesto de Baraguá no sentimento heróico de Cuba

Cuba, Protesta, Baraguá, conmemoración

Um Protesto de Baraguá no sentimento heróico de Cuba

Havana, 15 mar(Prensa Latina) A sombra das mangas abrigou um dia como hoje há 144 anos o Protesto de Baraguá, símbolo da vontade férrea dos cubanos de abolir a escravidão e conquistar a independência da Espanha.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Após 10 anos de guerra (1868-1878) impactada pela desunião, indisciplina, caudilhismo, entre outros conflitos, alguns encontraram na assinatura do Pacto de Zanjón – que buscava a paz sem a verdadeira autonomia da metrópole – a solução para as hostilidades, quando os mambises retomaram a luta pela liberdade no leste e centro da ilha.

Em 15 de março de 1878, em uma cidade próxima à província oriental de Santiago de Cuba, conhecida como Mangos de Baraguá, o major-general Antonio Maceo e outros chefes e oficiais de alta patente manifestaram sua recusa em aceitar o acordo, que não deu qualquer resposta a situação que levou à guerra e foi “uma rendição vergonhosa”, segundo o herói.

Quando o governador e pacificador espanhol Arsenio Martínez Campos tentou ler o Pacto, Maceo respondeu com um retumbante: “Fique com esse documento, não queremos saber de nada”, seguido da pergunta de seu interlocutor: “Não nos entendemos?”, e novamente a resposta contundente do cubano: “Não, não nos entendemos”.

A história ultrapassou o significado deste fato com o qual, segundo o líder histórico Fidel Castro, o espírito patriótico do povo cubano atingiu seu auge “e as bandeiras da Pátria e da verdadeira Revolução, de forma independente e com justiça social, foram colocadas no seu lugar mais alto”.

Anos depois, Antonio Maceo diria que três vezes em sua angustiada vida de revolucionário sofreu as fortes e tempestuosas emoções de dor e tristeza, ao se referir à morte de seus pais e ao Pacto de Zanjón.

O historiador Ernesto Limia, em avaliação do evento, assegurou que o Protesto de Baraguá foi uma demonstração de intransigência revolucionária, que resgatou o espírito de independência de não se ajoelhar.

Esse foi o estímulo que o levou a pegar novamente em armas na Guerra Necessária (1895-1898) organizada por José Martí anos depois, que terminou com a intervenção dos Estados Unidos em seus últimos momentos e a vitória sobre a Espanha.

Seis décadas depois, a ilha estava definitivamente libertada da dominação estrangeira, com o triunfo da Revolução em 1º de janeiro de 1959 e a fuga do ditador Fulgêncio Batista do país.

No mesmo local onde ocorreu o Protesto de Baraguá, mas em 19 de fevereiro de 2000, Cuba ratificou por juramento a vontade de resistir no novo cenário da batalha de ideias que sobrevive até hoje, com tecnologias e plataformas digitais como terreno de luta constante pela verdade e pela justiça.

acl/lrg/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.