25 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Biden tenta enfraquecer a Rússia com sanções e novas ameaças

Biden, Rusia, discurso, sanciones, Rusia

Biden tenta enfraquecer a Rússia com sanções e novas ameaças

Washington, 2 mar (Prensa Latina) O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que está tentando enfraquecer a Rússia com sanções e novas ameaças devido à operação militar realizada hoje por Moscou na Ucrânia.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Na véspera, em seu primeiro discurso sobre o estado da União perante o Congresso, o presidente norte-americano atacou seu homólogo russo, Vladimir Putin, pela operação contra Kiev.

Agora estamos implementando sanções econômicas poderosas, estamos estrangulando o acesso de Putin às tecnologias e enfraquecendo seu poder militar nos próximos anos, disse o ocupante do Salão Oval.

Segundo Biden, a operação militar russa, desencadeada em resposta às provocações de Washington e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), “tentou abalar os alicerces do mundo livre”, mas “se deparou com um muro de força” devido à à resistência do povo ucraniano.

Putin pagará um alto preço por essa decisão, disse o chefe da Casa Branca que anunciou o fechamento do espaço aéreo dos EUA para aviões russos e a criação de um grupo especial do Departamento de Justiça para investigar grandes empresários dessa potência que Washington considera inimigo

Sobre as sanções já impostas contra Moscou por seu governo, a União Europeia e outras nações alinhadas aos interesses ocidentais, ele indicou que estão surtindo efeito, embora as autoridades russas tenham adotado uma série de disposições para mitigar o impacto dessas medidas punitivas.

Washington e a Otan vêm alimentando tensões na Europa Oriental há meses, para onde deslocaram parte de suas tropas em um momento em que a Rússia não havia planejado a incursão militar que busca desmilitarizar e desnazificar a Ucrânia, segundo o Kremlin.

Biden justificou o envio de mais tropas para a Europa com o argumento de que são necessárias para defender os aliados da OTAN caso a Rússia decida avançar para o oeste e para isso confirmou a mobilização de forças terrestres, esquadrões aéreos e navios como ajuda militar a Kiev.

Normalmente, o discurso anual do chefe de Estado perante legisladores e outros convidados centra-se em questões internas, mas desta vez dedicou cerca de um terço da sua mensagem à crise na Europa amplamente noticiada na imprensa do país do norte antes de rever a agenda nacional.

O jornal The Washington Post considerou que com seu pronunciamento Biden conseguiu unir democratas e republicanos em oposição a Putin, que está “mais isolado do que nunca” na opinião do chefe do Executivo norte-americano.

Segundo analistas, Biden está tentando usar a questão da Ucrânia para aumentar sua aceitação em um momento crítico de sua presidência, enquanto administra uma economia instável enquanto, segundo pesquisas, sua taxa de aprovação está em 37% e as eleições presidenciais se aproximam semestre em novembro.

rgh/avr/ml

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.