15 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Rússia está pronta para conversar com a Ucrânia, segundo o Kremlin

Rusia, Putin, Ucrania, diálogo

Rússia está pronta para conversar com a Ucrânia, segundo o Kremlin

Moscou, 25 de fev (Prensa Latina) O presidente russo, Vladimir Putin, está disposto a enviar uma delegação a Minsk para conversar com as autoridades ucranianas, disse hoje o chefe da assessoria de imprensa do Kremlin, Dmitri Peskov.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O alto funcionário disse que Putin concordou em enviar um grupo incluindo representantes dos Ministérios da Defesa, Relações Exteriores e da Administração Presidencial à capital bielorrussa para conversas com seu colega em Kiev.

O porta-voz presidencial disse que a decisão responde à proposta do presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, de realizar conversações bilaterais em busca de uma solução para o conflito.

Por sua vez, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, enfatizou na sexta-feira que seu governo está pronto para negociar a qualquer momento, assim que as Forças Armadas ucranianas deixarem de oferecer resistência e deporem suas armas.

“Ninguém vai atacá-los, ninguém vai oprimi-los. Que eles voltem para suas famílias e dêem ao povo ucraniano a oportunidade de determinar seu próprio destino”, enfatizou o ministro das Relações Exteriores.

Numa conferência de imprensa depois de manter conversações com o seu homólogo da República Popular de Lugansk (PLR), Vladislav Deinego; e com o vice-ministro das Relações Exteriores da República Popular de Donetsk (DPR), Sergei Peresada, Lavrov ressaltou que a Rússia sempre apoiou a continuidade do processo de negociação e alertou que a possibilidade dele foi mantida até o fim.

Putin, em um discurso televisionado na quinta-feira, anunciou o início de uma operação militar especial na Ucrânia para proteger a população da região de Donbass e “desmilitarizar” a Ucrânia.

Segundo as autoridades de Moscou, o destacamento das Forças Armadas Russas em território ucraniano respondeu a um pedido de ajuda das Repúblicas Populares de Donetsk (DPR) e das Repúblicas Populares de Lugansk (LPR) face à agressão de Kiev.

O país eurasiano reconheceu a independência e soberania de ambos os territórios e assinou tratados de amizade, cooperação e assistência mútua, que incluíam o estabelecimento de relações diplomáticas e ajuda militar.

O Ministério da Defesa russo assegurou que as Forças Armadas do seu país não lançam ataques contra cidades ucranianas, mas sim contra infraestruturas militares, instalações de defesa aérea, aeródromos e aviação militar com armas de alta precisão. Ele ressaltou que a população civil da Ucrânia não está ameaçada.

Segundo Putin, a Rússia não pretende ocupar os territórios do país vizinho, mas sim defender o direito dos povos da Ucrânia à autodeterminação. Ele também reiterou que Moscou não pode permitir que Kiev adquira armas nucleares e continue a se militarizar, o que constitui um perigo para a segurança da Rússia, e reiterou que a expansão contínua da Organização do Tratado do Atlântico Norte para o leste é inaceitável.

mgt/mml/sc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.