27 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Estados Unidos se destacam como promotores da crise na Ucrânia

Estados Unidos se destacam como promotores da crise na Ucrânia

Washington, 24 jan (Prensa Latina) O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e outros funcionários de seu governo estão intensificando sua campanha de propaganda para transformar a Rússia em um agressor na crise tensa que está sendo vivida hoje em torno da Ucrânia.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Após tomarem como certa uma invasão russa do território ucraniano há uma semana, Biden e seu secretário de Estado, Anthony Blinken, insistem na mensagem apesar da negação das mais altas autoridades de Moscou.

Washington continuou nessa linha, com o Departamento de Estado no domingo ordenando aos familiares dos funcionários do governo em sua embaixada em Kiev que deixassem o país, enquanto permitia que os não essenciais saíssem em meio à crescente preocupação com uma invasão russa, para especialistas uma reiteração do roteiro provocativo.

Em uma notificação, a agência autorizou a saída voluntária de contratações diretas e ordenou a saída de familiares elegíveis devido à “ameaça contínua de ação militar russa”.

Mas as novas ordens vêm em um momento em que a Rússia, segundo a Casa Branca, reuniu pelo menos 100.000 soldados perto de sua fronteira com a Ucrânia, levantando temores de que Moscou pudesse invadir.

De acordo com uma reportagem do jornal The Hill, a Casa Branca advertiu que tal “invasão” poderia ocorrer já em meados de fevereiro, embora Moscou negue tais planos.

Sobre esta crise, em um artigo no site www.consortiumnews.com um ex-oficial de inteligência do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA que serviu na ex-União Soviética impondo tratados de controle de armas, Scott Ritter, disse que Washington já esgotou suas ferramentas contra a Rússia.

Blinken disse, de acordo com Ritter, que os EUA têm uma caixa de ferramentas cheia de opções que terão “consequências massivas” para a Rússia se invadir a Ucrânia.

Estas incluem opções militares, tais como reforçar o flanco oriental da OTAN com tropas adicionais dos EUA, e opções econômicas, tais como fechar o gasoduto Nord Stream 2 e cortar a Rússia do sistema bancário SWIFT, mas, de acordo com o analista, o problema é que a caixa de ferramentas está vazia.

A implementação real dessas opções pelo Pentágono, enfatizou, não seria nem oportuna nem mesmo possível, e qualquer implantação levaria à morte de muitos estadunidenses.

Em resumo, não há opção militar viável e Biden sabe disso, disse o especialista.

Em outra direção, disse Ritter, a Rússia pode sobreviver ao impacto de qualquer regime de sanções que Washington for capaz de reunir – mesmo aquelas destinadas ao sistema bancário russo – muito mais tempo do que a Europa pode sobreviver sem acesso à energia russa.

As consequências de uma rejeição dos EUA às exigências da Rússia, afirmou, serão mais do que provavelmente uma guerra.

jf/lb/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.