26 de May de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Sem consenso Parlamento Europeu apoia o direito ao aborto

Europa, parlamento, derecho, aborto

Sem consenso Parlamento Europeu apoia o direito ao aborto

Bruxelas, 20 jan (Prensa Latina) Embora a decisão final sobre o direito ao aborto seja dos governos de cada país, cinco dos sete grupos que compõem o Parlamento Europeu (PE) se pronunciaram hoje a favor da prática.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Após a eleição de Roberta Metsola como líder do Parlamento Europeu, o assunto foi colocado no topo da agenda do PE.

O legislador maltês detém a presidência interina do PE desde 11 de novembro, após a morte inesperada de David Sassoli.

É uma advogada especializada em política europeia e é conhecida por ser contra esta opção.

Durante o debate foram levantadas vozes a favor da interrupção voluntária da gravidez, como a presidente do bloco social-democrata, Iratxe García, que disse que a proibição do aborto não significa que nascerá mais crianças, mas que mais mulheres morrerão.

Também lamentou que as mulheres que perdem suas vidas durante esta prática sejam principalmente aquelas que não podem ter acesso a um procedimento seguro e lembrou que 25 milhões de abortos ilegais são realizados anualmente no mundo, dos quais milhares terminam na morte da mulher.

A Comissária Europeia de Valores, Vera Jourová, e o Secretário de Estado francês para Assuntos Europeus, Clément Beaune, expressaram seu apoio a um maior acesso à educação sexual e a cuidados de saúde de qualidade, incluindo a saúde reprodutiva e sexual.

A deputada irlandesa Frances Fitzgerald, do Partido Popular Europeu, falou primeiro sobre a violência contra as mulheres e associou-a à luta pela igualdade de gênero e saúde sexual e reprodutiva, que ela disse estar atualmente recuando.

As mulheres têm o direito de tomar suas próprias decisões e não permitir que elas o façam é um ato de violência, disse ela.

O chamado bloco progressista, formado por social-democratas, verdes e de esquerda, concordou que os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres “não são garantidos hoje” na União Europeia.

A deputada espanhola María Eugenia Rodríguez Palop, membro da esquerda espanhola, disse que esta opção “não é apenas parte do serviço de saúde, mas um direito humano, portanto, é da competência do bloco regional”.

Os opositores ao aborto voluntário eram eurodeputados dos grupos conservadores e de extrema-direita, que se opunham a uma atualização da Carta dos Direitos Fundamentais da UE.

mem/ehl/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.