20 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Vantagem ou problema para a França?

Vantagem ou problema para a França?

Por Waldo Mendiluza Paris, 9 jan (Prensa Latina) A França assumiu a presidência rotativa do Conselho da União Europeia (UE) em 1º de janeiro, responsabilidade para a qual elaborou várias estratégias, em um cenário em que convivem expectativas e dúvidas.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O tanque pensante independente Instituto Montaigne lembrou que, desde a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, no final de 2009, o papel do Estado que preside ao Consilium diminuiu significativamente, o que não é o mesmo que encabeçar o bloco, agora com 27 membros depois da saída do Reino Unido.

“A responsabilidade diminuiu, e se antes ele presidia as reuniões dos países membros em todos os níveis, isso não acontece mais”, frisou.

Portanto, o presidente do Conselho, ex-primeiro-ministro belga Charles Michel, continuará a liderar as reuniões desse órgão, e não o presidente francês, Emmanuel Macron; enquanto o ministro irlandês das Finanças, Paschal Donohoe, continuará a liderar o Eurogrupo, e não o ministro francês da Economia e Finanças, Bruno Le Maire, como se poderia pensar.

Paris conduzirá, através dos chefes da pasta, as sessões do Conselho de Ministros da UE nos 10 aspectos principais, que vão desde o comércio e saúde, à agricultura e pescas, e poderá influenciar a ordem do dia e a apresentação das deliberações à votação.

Isso implica o enorme desafio de organizar centenas de reuniões e, além disso, segundo especialistas, adotar uma postura de mediação e até neutralidade, mas com um ambiente “contaminado” pela crise sanitária de Covid-19 e as eleições presidenciais francesas, marcadas para abril.

Diante dessas eleições, Macron ainda não oficializou sua candidatura, embora ninguém duvide que buscará mais cinco anos no Eliseu.

A visão europeia é um dos pontos defendidos pelo governante e, nesse sentido, considerou a UE a única forma da França ser mais forte face aos “fracassos do mundo e das grandes potências”, apesar de os seus cidadãos nem sempre se identificarem com o conceito de integração europeia.

Uma pesquisa do Europa Nova, do Instituto Francês de Opinião Pública e do Le Journal du Dimanche, também publicada no Corriere della Sera e no Frankfurter Allgemeine Zeitung, mostrou que apenas 29% dos franceses apoiam uma soberania europeia no contexto de maior integração, critério defendido por 50% dos italianos e 43% dos alemães.

Independentemente da responsabilidade e eventual peso nas decisões, Paris espera muito da sua presidência no Conselho, co-legislador com o Parlamento Europeu, com prioridades como uma reforma do espaço Schengen visando salvaguardar as fronteiras.

(Retirado do Orbe)

/ hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.