24 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Preso palestino completa 140 dias em greve de fome

Preso palestino completa 140 dias em greve de fome

Ramallah, 3 jan (Prensa Latina) O palestino Hisham Abu Hawash completou 140 dias em greve de fome exigindo sua libertação, enquanto crescem as críticas a Israel pela gravidade do estado de saúde do detido.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O subsecretário da Comissão de Assuntos de Prisioneiros e Ex-Prisioneiros, Abdul Qader Al Khatib, advertiu que Abu Hawash está muito próximo da morte devido às inúmeras falhas de órgãos de seu corpo, pelo que apelou à comunidade internacional para que pressionasse Tel Aviv a alcançar sua libertação.

Na mesma linha, falou o Ministério de Relações Exteriores, que responsabiliza as autoridades do país vizinho pela vida do prisioneiro.

A chancelaria anunciou em nota que está em contato com várias organizações vinculadas à ONU para denunciar o caso e obrigar Israel a libertar o detido.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) neste fim de semana estava profundamente preocupado com a questão.

“Todos os esforços devem ser feitos para encontrar uma solução que evite consequências irreversíveis para a saúde de Hawash”, disse o CICV, enfatizando que todos os detidos devem ser tratados com humanidade e dignidade.

O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina, Mohammad Shtayyeh, também pediu às autoridades israelenses que libertassem Hawash, mantido atrás das grades sob a política de detenção administrativa.

Criticada pela ONU e por grupos de direitos humanos, a chamada detenção administrativa é usada por Israel para prender palestinos em intervalos renováveis ​​que variam normalmente de três a seis meses, com base em evidências não divulgadas de que até mesmo o advogado do réu está proibido de ver.

Diante da situação, o grupo Jihad Islâmica ameaçou o Estado Judeu com duras represálias no caso da morte de Hawash.

Em nota divulgada na Faixa de Gaza e assinada por seu secretário-geral Ziyad al Nakhala, a formação considerou que sua morte será considerada um assassinato e iniciarão as hostilidades.

Neste sábado, que coincidiu com o início do ano, cerca de 500 palestinos presos sob a política de detenção administrativa começaram a boicotar tribunais israelenses em protesto contra sua detenção.

De acordo com dados oficiais, no final de novembro 4.550 palestinos estavam em prisões israelenses, incluindo 32 mulheres e 170 menores.

jf / rob / ls

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.