18 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Passos de Albert Einstein em Havana

Passos de Albert Einstein em Havana

Havana, 19 dez (Prensa Latina) Cerca de 30 horas, foi o tempo que o gênio alemão da física Albert Einstein demorou a deixar sua marca em Cuba, em um dia como hoje, mas do ano de 1930.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O idealizador da Teoria da Relatividade e do Prêmio Nobel de Física em 1921, chegou à ilha em uma viagem que começou 17 dias antes na cidade de Antuérpia, na Bélgica, e teve como destino a cidade de San Diego, no litoral Pacífico estadunidense.

Dizem que a primeira coisa que ele fez ao chegar a Havana a bordo do vapor Belgenland, acompanhado de sua esposa Elsa Einstein, foi comprar um chapéu.

Segundo relatos da época, aquele considerado o mais importante, conhecido e popular cientista do século 20, deslumbrado com o sol caribenho, adquiriu a vestimenta na loja El Encanto, a mais luxuosa da capital.

Os donos do estabelecimento tiveram a delicadeza de dar-lhe o melhor jipijapa (chapéu típico cubano), e só pediram ao visitante que concordasse em posar para um retrato no estúdio fotográfico do shopping, diz o texto As 30 Horas de Einstein em Cuba, de José Altshuler.

Feita a foto, iniciaram-se as atividades acordadas com o professor, em um programa que não previa a visita à Universidade de Havana, pois se transformou no centro da rebelião popular contra a ditadura de Gerardo Machado (1925-1933), foi fechado indefinidamente por decreto presidencial.

O visitante teve uma breve estada na Secretaria de Estado, assistiu à homenagem que lhe foi prestada na Academia de Ciências Médicas, Físicas e Naturais, teve um encontro com a comunidade hebraica cubana e um passeio de carro, que ele mesmo pediu para ver mais a cidade e seus arredores.

Da mesma forma, naquele primeiro dia, ele visitou o exclusivo Country Club e Havana Yacht Club, um aeroporto, a Escola Técnica Industrial e um asilo para doentes mentais, além de participar de uma recepção preparada pela Sociedade Cubana de Engenheiros.

Exausto, recusou o convite para pernoitar no Hotel Nacional, que estava para inaugurar, e preferiu dormir no vapor Belgenland, atracado no ancoradouro de Havana.

No dia seguinte, o cientista pediu ao engenheiro José Carlos Millás que conhecesse o “outro lado” da capital, e assim chegou a lotes e bairros da Havana Velha, lojinhas modestas.

A experiência foi registrada em seu diário: “Clubes luxuosos próximos a uma miséria atroz, que atinge principalmente pessoas de cor”.

Por volta das 13h, horário local, do dia 20 de dezembro, o navio Belgenland deixou o porto de Havana.

O jornal El Heraldo de Cuba assinalou o seguinte: “O sábio alemão que nega o prolongamento infinito de duas linhas paralelas entre si, foi ontem hóspede de nossa capital”.

No Livro de Ouro da Sociedade Geográfica, Einstein escreveu: “A primeira sociedade verdadeiramente universal foi a dos pesquisadores. Que a geração seguinte estabeleça uma sociedade econômica e política que evitará com segurança as catástrofes.”

O professor, nascido na cidade alemã de Ulm em 14 de março de 1879, morreu em Princeton, nos Estados Unidos, em 18 de abril de 1955, com suas teorias reformulou o conceito de gravidade.

mem / cgc / ls

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.