18 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Rússia responderá à extensão das sanções da UE

Rússia responderá à extensão das sanções da UE

Rússia responderá à extensão das sanções da UE

Moscou, 17 de dez (Prensa Latina) O porta-voz da presidência da Rússia, Dmitri Peskov, declarou hoje que seu governo responderá reciprocamente à decisão da União Europeia (UE) de estender as medidas econômicas contra este país por seis meses.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“Não fomos nós que aplicamos as sanções iniciais e não cabe a nós levantar essa questão. Você sabe que temos todo um conjunto de contramedidas em vigor. Elas também serão reciprocamente estendidas ao nosso lado”, disse ele em declarações à imprensa.

O responsável qualificou de ilegal do ponto de vista do direito internacional o conjunto de restrições impostas pela UE desde 2015, que desde então tem vindo a ser prorrogado semestralmente.

Os chefes dos 27 países membros do bloco comunitário decidiram por unanimidade estender as medidas econômicas setoriais contra a Rússia por seis meses, disse o chefe do Conselho Europeu, Charles Michel, em entrevista coletiva na sexta-feira.

Ele também afirmou que em caso de agressão contra a Ucrânia, a Rússia enfrentará “consequências em grande escala e um alto custo dessa agressão”, embora eu não pudesse responder especificamente à pergunta sobre o que exatamente a UE vai fazer nesse caso, relatou a agência de notícias TASS.

Segundo repetidas declarações de Moscou, este país nada tem a ver com o conflito no Donbass, que considera um problema interno para a Ucrânia.

Ao mesmo tempo, expressou seu papel de mediador para sua solução pacífica por meio dos acordos de Minsk de 2015, em conjunto com a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), França e Alemanha.

Em 2014, a União Europeia aplicou um pacote de medidas unilaterais contra a Rússia por causa dos acontecimentos na Ucrânia e da reunificação da Crimeia.

Esse território voltou a fazer parte da Rússia após um referendo realizado na península em março de 2014, após o golpe que a Ucrânia sofreu um mês antes.

Na votação, 96,77% dos eleitores da Crimeia e 95,6% dos residentes de Sebastopol falaram a favor da adesão à Rússia, voto que não foi reconhecido por Kiev.

As autoridades de Moscou declararam que, de maneira democrática, os habitantes da Crimeia, em total conformidade com o direito internacional e a Carta das Nações Unidas, votaram a favor da reunificação com a Rússia.

Entretanto, as medidas restritivas aplicadas pela UE foram prorrogadas e várias vezes implicaram a suspensão das negociações bilaterais sobre um regime de isenção de vistos e um novo acordo básico de cooperação.

Eles também incluíram a proibição de entrada nos países do bloco para uma lista de autoridades russas, que tiveram seus bens congelados em contas europeias, além de restrições comerciais, financeiras e militares. Em resposta, a Rússia impôs um embargo às importações de vários produtos alimentares de países da UE.

acl / mml / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.