18 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Negócio petrolífero em Angola com fraca inserção de entidades locais

Diamantino-Azevedo

Negócio petrolífero em Angola com fraca inserção de entidades locais

Luanda, 17 dez (Prensa Latina) O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás de Angola, Diamantino Azevedo, apelou hoje para fazer face à fraca inserção das empresas locais nos negócios do sector, considerado o mais lucrativo do país.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Na opinião do titular, existe uma “necessidade imperiosa” de incorporar um número significativo e crescente de entidades nacionais e locais como operadores e prestadores de serviços.

É um leque de possibilidades que vai desde processos, sistemas e capital humano, até áreas-chave como engenharia, manutenção técnica, prospecção, produção e fornecimento de materiais e equipamentos especializados, considerou Azevedo em intercâmbio com executivos de negócios.

Para aproveitar as oportunidades, disse, as empresas angolanas devem melhorar os aspectos relacionados com a qualidade, eficiência e produtividade, para além de terem conhecimento e domínio das tecnologias inerentes ao fornecimento de bens e serviços ao ramo dos hidrocarbonetos.

Eles também devem ser sólidos e financeiramente capazes de entrar no negócio de petróleo e gás, frisou o ministro, que pediu o apoio proativo das instituições de crédito.

O responsável lembrou que a indústria petrolífera nacional enfrentou desafios importantes nos últimos anos devido, entre outras causas, aos baixos níveis de investimento, à ausência de concursos para novas concessões e às constantes oscilações do preço do barril de petróleo.

Desde 2017, o executivo iniciou um processo de reorganização e reformas por aqui, com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios e torná-lo mais transparente e atraente para os investidores, destacou.

A Estratégia Geral para a Atribuição de Concessões para o período 2019-2025, disse, prevê a licitação de mais de 50 blocos, tendo este ano sido estabelecidas as regras e procedimentos para a atribuição de concessões petrolíferas em regime de oferta permanente.

Conforme explicou, os processos licitatórios de 2019 e 2020 permitiram a adjudicação de seis blocos na bacia do Namibe e nove demarcações de terras nas bacias do Baixo Congo e Kwanza.

Paralelamente, comentou, o Executivo promoveu o aumento das capacidades de processamento, que inclui a modernização e optimização da refinaria de Luanda e os processos de construção das fábricas de Cabinda, Soyo e Lobito.

Segundo dados oficiais, o petróleo continua a ser um dos recursos estratégicos de Angola, representando mais de 90 por cento do total das exportações, cerca de 20 por cento do Produto Interno Bruto e 40 por cento das receitas fiscais do país.

mem / mjm / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.