21 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Grupo Puebla exige liberdade para Julian Assange

Grupo Puebla exige liberdade para Julian Assange

Buenos Aires, 13 dez (Prensa Latina) O Grupo Puebla mais uma vez exigiu liberdade para o fundador do WikiLeaks Julian Assange, hoje na prisão, e ressaltou que sua prisão é o triunfo da opressão, do silêncio e do medo.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A aliança progressiva e seu Conselho Latino-Americano para a Justiça e Democracia (Clajud), apontou que a recente decisão do Tribunal de Westminster (Reino Unido) que permite a extradição de Assange para os Estados Unidos, não é apenas um grave erro judiciário que põe em perigo sua vida, mas uma decisão que estabelece sérios precedentes na violação do direito humano à livre expressão e informação.

“O material publicado pelo WikiLeaks fornece provas irrefutáveis do papel e responsabilidade de políticos, diplomatas, militares, empresários, principalmente dos Estados Unidos, em decisões e ações que tiveram um forte impacto na política interna de vários Estados do mundo”, disse o Grupo em uma declaração. Também sublinha que estes documentos dão conta de extorsão, espionagem, operações secretas, desestabilização e até mesmo ataques armados contra civis. Até a liberação desses documentos, o estado americano se reservou o direito de definir o tempo e o conteúdo dos documentos que poderiam ser mostrados ao público em geral (e que permaneceriam ocultos).

A aliança, à qual pertencem personalidades progressistas de 17 países, disse que paradoxalmente, ao invés de ser aplaudida, a ação do WikiLeaks desencadeou uma série de punições que incluem a acusação, a denigração, a desmoralização, a estigmatização e a criminalização de Assange, privado de sua liberdade em uma prisão de segurança máxima para os terroristas.

“Este processo de humilhação e denigração transcende definitivamente um indivíduo, para se tornar um corretivo em nível internacional, mostrando passo a passo a crueldade a que o sistema instituído pode chegar, para impedir que qualquer um se atreva a fazer algo semelhante. Em última análise, ele procura paralisar o instinto e o direito de buscar a verdade infundindo medo”, disse o grupo na declaração.

O documento, assinado por 44 personalidades, incluindo quatro ex-presidentes, observou que o Estado norte-americano está solicitando a extradição de Assange porque ele supostamente representa uma ameaça à segurança nacional.

Ao conceder este pedido, a justiça britânica reforça a extraterritorialidade do braço jurídico americano, que, por meios legais, ilegais, diretos ou indiretos, consegue intervir em processos judiciais em outros estados.

Esta estratégia é parte de verdadeiras guerras jurídicas, travadas contra aqueles definidos como inimigos políticos em diferentes partes do mundo, concluiu o Grupo Puebla.

O fundador do WikiLeaks está preso desde abril de 2019, quando o governo do presidente Lenín Moreno revogou sua proteção diplomática após sete anos de confinamento na legação equatoriana em Londres.

mem/may/bm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.