24 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Bloqueio a Cuba sem distinções

Cuba, EEUU, bloqueo

Bloqueio a Cuba sem distinções

Por Orlando Oramas Leon Havana, 9 de dez (Prensa Latina) O bloqueio imposto pelos Estados Unidos a Cuba há mais de 60 anos atinge hoje os cubanos sem distinguir idade, gênero, estado de saúde ou posição ideológica.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Esta política hostil cria a sensação de uma praça sitiada tão cotidiana como se os cidadãos estivessem condenados à necessidade.

Não é incomum quando o objetivo expresso do cerco econômico, financeiro e comercial a Washington é justamente causar o maior dano possível aos que se encontram na ilha vizinha.

E o pior é que está escrito. Foi carimbado pelo subsecretário adjunto para Assuntos Interamericanos, Lester D. Mallory, em um memorando secreto do Departamento de Estado, datado de 6 de abril de 1960

“A maioria dos cubanos apoia Castro … a única maneira previsível de reduzir seu apoio interno é através do desencanto e da insatisfação decorrentes do mal-estar econômico e das dificuldades materiais … todos os meios possíveis devem ser usados rapidamente para enfraquecer a vida econômica de Cuba ”

E acrescentou: “… uma linha de ação que, sendo tão habilidosa e discreta quanto possível, consegue o maior progresso ao privar Cuba de dinheiro e suprimentos, reduzindo seus recursos financeiros e salários reais, causando fome, desespero e a derrubada do governo “.

Alguém pode se perguntar até que ponto o comportamento de um país pode influenciar o interno de outro, até mesmo se perguntando se o bloqueado pode com sua própria força resolver seus problemas.

A pergunta poderia servir de pretexto para argumentar por ocasião do Dia Internacional dos Direitos Humanos, a ser celebrado amanhã, que a política de bloqueio dos Estados Unidos é o maior obstáculo ao gozo desses direitos pelos cubanos.

Por conta disso, a maior potência do planeta usa de sua força para negar a seu vizinho o financiamento que qualquer outra nação do planeta pode aspirar de organismos internacionais, como o Banco Mundial ou o Fundo Monetário Internacional.

O bloqueio mata, diz Cuba, e acertou quando se privou de recursos, insumos e remédios para enfrentar a pandemia de Covid-19.

Não é apenas uma questão de dinheiro. Os cubanos estão proibidos de acessar tecnologias de ponta que salvam vidas e a simples aspirina. Esse procedimento é muito mais pérfido quando se trata de crianças doentes.

Nestes tempos em que Cuba luta pela vida de seus cidadãos e apoia a batalha internacional contra a terrível doença, o cerco se mostra em toda a sua crueldade.

Isso foi demonstrado pela proibição de uma transportadora encarregada de trazer meios de proteção, suprimentos médicos e exames diagnósticos da China para Havana.

Washington não esconde seus esforços para cortar o fornecimento de combustível para a ilha das Antilhas e, assim, paralisar os serviços essenciais à população.

E, se pudesse, também o privaria de oxigênio, como aconteceu quando, em meio a um forte surto de Covid-19, faltou oxigênio medicinal nos hospitais após uma interrupção na usina geradora.

Por isso e mais, a denúncia perante a Assembleia Geral da ONU e outros fóruns internacionais de que o bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos continua sendo uma violação maciça, flagrante e sistemática dos direitos humanos de todos os cubanos.

Também por isso e muito mais a acusação de que é uma política cruel e desumana que se qualifica como um ato de genocídio nos termos da Convenção de 1948 para a Prevenção e Punição do Crime de Genocídio.

O mundo celebra e reconhece a Declaração Universal dos Direitos Humanos nos dias de hoje.

Seu segundo artigo estabelece que “todos têm todos os direitos e liberdades proclamados nesta Declaração, sem qualquer distinção de raça, cor, sexo, idioma, religião, opinião política ou outra, origem nacional ou social, posição econômica, nascimento. Ou qualquer outra condição”.

O bloqueio contra Cuba não faz tais distinções.

jf / ool / fav

ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.