23 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Começa o debate preliminar sobre a vacância presidencial no Peru

Começa o debate preliminar sobre a vacância presidencial no Peru

Lima, 7 dez(Prensa Latina) Um debate preliminar sobre uma moção direitista de vacância presidencial (destituição) será realizado hoje pelo Parlamento do Peru, depois que a maioria das bancadas proclamaram seu repúdio à medida proposta pela extrema direita .
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Representantes dos partidos de esquerda (em espanhol) Perú Libre, Juntos por el Perú e Nuevo Perú, e de centro, Podemos Perú, Somos Perú e Partido Morado, que somam votos parlamentares suficientes para impedir a vacância, coincidiram em rechaçá-la.

Após encontro com o presidente ao final de uma rodada de negociações com as bancadas, anunciaram que votarão contra a iniciativa nesta terça-feira e o secretário-geral do Perú Libre, Vladimir Cerrón, deu-a por fracassada.

O Plenário do Congresso da República discutirá se aceita ou não debater a moção que propõe a desocupação (destituição) do presidente, que exige 52 (40%) dos votos dos 130 legisladores, número inferior a isso têm as três bancadas proponentes, portanto, requerem o apoio de legisladores de outros grupos.

Cerrón explicou que, levando em consideração que a destituição do presidente não conta com os 87 votos necessários para sua aprovação, não faz sentido aprovar sua passagem ao debate de fundo.

O fato ratificou o isolamento das bancadas Renovación Popular (RP), Fuerza Popular (FP) e Avanza País, cujo secretário-geral, Rodolfo Pérez, se juntou ao grupo que rejeitou a vacância, embora tenha sido desautorizado por sua bancada.

Os dirigentes das três bancadas recusaram o diálogo em que os visitantes, conforme declararam, recomendaram mudanças no Governo, melhor seleção dos colaboradores, maior transparência e comunicação e mudanças na forma de governar.

Todos os interlocutores do governante se pronunciaram pela governabilidade e estabilidade, conceitos que o Governo reivindica contra a intenção de defenestrar o presidente por “incapacidade moral permanente”, causa imprecisa prevista na constituição.

O Partido Libre, pelo qual Castillo foi eleito presidente, deixou para trás divergências que os afastaram e rejeitou a vacância e a qualificou como golpista.

Horas antes, o partido centrista Alianza para el Progreso, ratificou sua rejeição à destituição presidencial e seu voto contra sua admissão ao debate, e a maioria dos legisladores da Acción Popular, de linha semelhante, falaram na mesma direção.

A moção de direita ganhou força na semana passada após a transmissão de uma reportagem sobre as reuniões de Castillo com empresários e funcionários fora do palácio do governo, único lugar onde o presidente pode servir, de acordo com a legislação em vigor.

Esse e outros flancos fracos não estão incluídos na moção de vacância, por ser essa anterior, e opositores extremos e a conservadora presidenta do Congresso, María del Carmen Alva, planejam apresentar outras com novos elementos.

oda/mrs/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.