28 de November de 2021

NOTICIAS

A FAO e o patrimônio agrícola mundial

A FAO e o patrimônio agrícola mundial

Roma, 25 Nov(Prensa Latina) A importância de valorizar métodos agrícolas comprovados e confiáveis, como os utilizados nos Importantes Sistemas do Patrimônio Mundial Agropecuário (Sipam) para transformar os sistemas alimentares, foi ponderada hoje pela FAO.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Um artigo publicado por aquele órgão da ONU para Alimentos e Agricultura aborda a urgência de mudanças na forma atual de produção agroalimentar, em direção a um outro protetor do meio ambiente, o que aumenta a segurança alimentar e nutricional e aumenta a renda dos agricultores e de outros atores no cadeia de valor.

A FAO mostra como em uma década, desde a criação do Sipam, que visa “designar agroecossistemas em que as comunidades vivem em estreita relação com seus territórios”, esses sistemas agrícolas em mutação “são resilientes e baseados em conhecimentos tradicionais e valores culturais a não perder”.

Também argumenta que a agrobiodiversidade e as paisagens desses locais são administradas de forma sustentável por fazendeiros, pastores, pescadores e pessoas que dependem das florestas, contribuindo assim para sua subsistência e segurança alimentar.

A agência especializada da ONU detalhou as vantagens do Sipam nos sistemas agroalimentares de Ifugao, nas Filipinas; Península de Noto, Japão; Aohan, China; Cordilheira dos Andes, Peru e Souf, Argélia.

Por exemplo, o corredor Cusco-Puno, com 350 quilômetros de extensão na cordilheira andina do Peru, é o lar de milhares de agricultores indígenas quíchuas e aimarás, que trabalham a terra com práticas agrícolas tradicionais, conhecimentos e rituais transmitidos por seus ancestrais.

As famílias da área estabeleceram e mantêm terraços, sistemas locais de irrigação e modos de produção agrícola adaptados a diferentes altitudes, destaca o artigo da FAO.

O Sipam favoreceu “zonas de agrobiodiversidade” em todo o país para valorizar a biodiversidade agrícola e reconhecer as comunidades camponesas e indígenas que conservam espécies nativas e parentes silvestres de milho, batata, quinua e feijão, entre outras culturas.

Atualmente, com financiamento do Fundo Global para o Meio Ambiente, a entidade da ONU promove no país sul-americano, como acompanhamento do reconhecimento do Sipam, um projeto para ajudar as comunidades a preservar a agrobiodiversidade por meio de manejo sustentável, oportunidades de comercialização e conservação.

mem/smp/jcfl

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.