16 de January de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

No mundo, mais 161 milhões de famélicos atribuíveis à pandemia

famelicos pandemia

No mundo, mais 161 milhões de famélicos atribuíveis à pandemia

Roma, 23 nov (Prensa Latina) Durante 2020, a crise de Covid-19 e outros fatores arrastaram 161 milhões de pessoas a mais para a insegurança alimentar do que no ano anterior, de acordo com um novo relatório da FAO publicado hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O documento anual O Estado Mundial da Segurança Alimentar e a Nutrição 2021, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), estima que entre 720 e 811 milhões de pessoas foram afetadas pela fome em 2020.

“Tragicamente, mulheres e crianças muitas vezes suportaram o impacto da crise”, observa o relatório.

O texto reiterou que cerca de três bilhões de pessoas estão privadas de uma alimentação saudável para se proteger contra a desnutrição e avisa que outro bilhão está em igual perigo se alguma perturbação reduzir sua renda em um terço.

Proporcionalmente, muito mais indivíduos em países de baixa renda não poderiam nem mesmo pagar uma dieta suficiente para energia, observa o relatório, observando que tais “riscos são inaceitáveis ​​em um mundo que produz alimentos suficientes para toda a sua população”.

Do prefácio, assinado pelo Diretor-Geral da FAO, QU Dongyu, destaca-se que fechamentos de fronteira e toques de recolher para conter a propagação do coronavírus SARS-CoV-2, restrições à circulação de pessoas e mercadorias, em particular nos estágios iniciais da pandemia, dificultaram o fluxo de insumos para os agricultores e seus produtos para os mercados.

Onde a colheita e o transporte foram bloqueados, grandes quantidades de frutas e vegetais frescos foram deixados para apodrecer nos campos, cita o texto.

Limitações que, ressalta, prejudicaram não só o comércio, as cadeias produtivas e os mercados agroalimentares, mas também a vida, a subsistência e a nutrição dos cidadãos.

Muitas pessoas nas áreas rurais foram impedidas de viajar para trabalho sazonal, uma importante fonte de renda em comunidades pobres.

Da mesma forma, devido à imobilidade dos bloqueios, as famílias urbanas de baixa renda viram sua renda e gastos com alimentos cair drasticamente.

O documento da FAO reconhece que, mesmo antes da pandemia, o mundo não estava no caminho para cumprir o compromisso comum de acabar com a fome e a desnutrição em todas as suas formas até 2030, uma meta da ONU que, neste caso, caiu ainda mais.

Ele também observa que cada vez mais as cadeias de abastecimento de alimentos e os meios de subsistência dos atores nos sistemas agroalimentares estão sendo interrompidos por choques – de secas e inundações, a conflitos armados e aumentos de preços – e por tensões de longo prazo, como mudanças climáticas e degradação ambiental.

QU Dongyu conclui em sua apresentação que a FAO está firmemente comprometida em aproveitar a oportunidade oferecida por eventos como a Cúpula das Nações Unidas sobre Sistemas Alimentares e outros para passar dos compromissos à ação.

Isso é feito com o objetivo de tornar os sistemas agroalimentares mais eficientes, inclusivos, resilientes e sustentáveis ​​em prol de uma melhor produção, nutrição, meio ambiente e “uma vida melhor para todos, sem deixar ninguém para trás”.

gas / smp / hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.