6 de December de 2021

NOTICIAS

Rússia chama os EUA a sentar e dialogar sobre armas espaciais

Rússia chama os EUA a sentar e dialogar sobre armas espaciais

Moscou, 16 nov (Prensa Latina) O ministro das relações exteriores russo, Sergey Lavrov, disse hoje que os Estados Unidos deveriam sentar-se e discutir suas preocupações sobre a presença de armas de seu país no espaço, em vez de fazer acusações infundadas.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em declarações à imprensa, o ministro destacou que Moscou teria preferido que Washington apresentasse suas dúvidas sobre o acordo que Rússia e China propõem para evitar a corrida armamentista.

“Estaríamos muito interessados ​​em ouvir não desculpas, mas uma posição concreta defendida”, disse ele, ao chamar as declarações dos EUA de hipócritas de que a Rússia constitui um risco para atividades de uso pacífico do espaço sideral.

Ele lembrou o pedido dos EUA de criar algum tipo de regras universais para a exploração espacial, ignorando a iniciativa da Rússia e da China de preparar um acordo para impedir a presença de armas no espaço sideral. Lavrov culpou o governo dos Estados Unidos pela formação, em 2020, do Comando Espacial das Forças Armadas, criado com o objetivo de promover uma vantagem militar abrangente no espaço sideral.

“Para colocar essa estratégia em prática, antes mesmo de ser aprovada, o Pentágono, sem informar ninguém, está testando em órbita armas de ataque a mísseis, chegando a colocar em órbita sistemas de defesa antimísseis”, explicou.

O funcionário alertou que o presidente Vladimir Putin falou sobre essa ameaça repetidamente e alertou sobre a possibilidade de “uma situação de segurança completamente diferente quando um país tem armas de ataque o tempo todo”.

O Comando Espacial dos EUA disse que na segunda-feira a Rússia testou um míssil anti-satélite com entrada direta em órbita, que atingiu um satélite próprio (COSMOS 1408) e que esse exercício espalhou fragmentos na órbita baixa da Terra.

Sobre o fato, o Ministério da Defesa da Rússia anunciou na terça-feira que foi realizado um teste bem-sucedido relacionado ao alcance da espaçonave nacional não operacional Tselina-D, que estava em órbita desde 1982.

Moscou explicou que os fragmentos que foram espalhados após o alcance daquele satélite não representam uma ameaça para a Estação Espacial Internacional (ISS) ou para o resto dos satélites.

“Os Estados Unidos sabem com certeza que os fragmentos formados no momento dos testes e os parâmetros orbitais não representavam e não representarão uma ameaça às estações orbitais, espaçonaves ou atividades espaciais”, detalhou a declaração da entidade militar.

De acordo com as autoridades russas, o país está realizando ações planejadas para fortalecer suas capacidades de defesa porque o principal objetivo da nova estratégia espacial dos EUA é “criar uma vantagem militar abrangente no espaço.

Ele esclareceu que os Estados Unidos, China e Índia já realizaram testes semelhantes no espaço sideral.

mgt / mml / hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.