6 de December de 2021

NOTICIAS

De volta a Cuba

De volta a Cuba

Por Karina Marrón González
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Havana, 16 nov (Prensa Latina) Aos 81 anos, o retorno a Cuba é a maior alegria para Pedro Alonso, é o retorno à sua pátria e nada pode deixá-lo mais feliz, segundo disse à imprensa.

Foi um dos viajantes que neste dia 15 de novembro aproveitou a reabertura das fronteiras e encaminhou os seus passos para o calor da terra onde nasceu. Por isso, cantou com entusiasmo diante das câmeras aquele refrão que lembra a beleza da ilha e professa que “quem a defende a ama mais”.

Alusão significativa em um dia em que da cidade americana de Miami, de onde saiu Alonso, não cessaram os apelos à prática de atos de desobediência civil, que se diluíram em meio à retomada das aulas presenciais, a chegada do turismo internacional e o retorno de muitos cubanos.

Voltar: uma sensação reconfortante depois de um ano distante devido à pandemia de Covid-19, como aconteceu com Rolando Dueñas, que descreveu seu sentimento ao sair do terminal 3 do Aeroporto Internacional José Martí, em Havana.

Esta segunda-feira foi um dia de abraços na capital caribenha e em outros cinco aeroportos onde as operações foram retomadas, embora de acordo com especialistas da Companhia Cubana de Aeroportos e Serviços Aeroportuários SA, exceto Cayo Largo, todos estejam prontos para receber viajantes.

Manifestações de carinho que, apesar dos apelos das autoridades sanitárias, estão a tornar-se mais frequentes no país, consolidaram-se na diminuição dos casos da Covid-19 que são apenas 1.755 ativos, e numa campanha de vacinação que em 13 de Novembro estava por volta dos 76,4% da população com o esquema completo.

Razões essas que também os impulsionam a retornar, desta vez diretamente ao bairro, a partir da eliminação da quarentena obrigatória, mesmo quando outros protocolos são mantidos para manter o controle da doença.

A partir desta segunda-feira haverá muitos regressos: cerca de 170 operações semanais terão Havana e são mais de 400 em todo o país, o que também permitirá o retorno de cidadãos retidos em outras latitudes em decorrência da paralisação do transporte.

Eles retornarão a uma nação com carências, resistindo às políticas hostis dos EUA, incluindo um bloqueio econômico de seis décadas, mas uma nação que busca soluções para seus problemas em paz. Essa é a moeda de Cuba, afirmou na sexta-feira passada o presidente Miguel Díaz-Canel, que afirmou que a ilha continuará avançando neste caminho.

ymr/kmg/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.