3 de December de 2021

NOTICIAS

Eleições legislativas argentinas, o dia seguinte

Argentina, elecciones, resultados

Eleições legislativas argentinas, o dia seguinte

Buenos Aires, 15 nov (Prensa Latina) As eleições legislativas argentinas de hoje definiram o tabuleiro de xadrez que moverá o país para os próximos dois anos no caminho para as eleições presidenciais, com a governante Frente de Todos e a oposição Juntos pelo Cambio como as maiores forças no Congresso.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O tabuleiro político foi dividido em ambas as câmaras, com paridade na Câmara dos Deputados, onde o partido governista continuará sendo a primeira minoria, garantindo 119 assentos de um total de 257, embora tenha perdido o quorum que tinha no Senado: de 41, caiu para 35 assentos, e a maior força de oposição ganhou cinco assentos (31 no total).

Embora em nível nacional a aliança Juntos por el Cambio – antiga Cambiemos – tenha celebrado sua vitória, marcando mais nove pontos do que o partido governante (dois milhões de votos atrás), a realidade é que ela saiu mais forte, mas na distribuição dos 329 assentos no total nas duas câmaras, a Frente está na liderança.

Entretanto, a paridade na Câmara dos Deputados e no Senado será um empecilho para o governo. Ele não terá mais a maioria na Câmara Alta – cuja presidente em sua função como vice-presidenta é Cristina Fernández – o que os impedirá de ter os assentos necessários para realizar uma sessão.

Neste lado do Cone Sul, o dia das eleições foi muito misto. Além das duas principais forças antagônicas do país, pela primeira vez um fenômeno que chamou a atenção nos últimos meses por seu agressivo discurso verbal, o economista e ultra-liberal Javier Milei, entrou na corrida.

Seu partido, La Libertad Avanza, ganhou duas cadeiras no Congresso na capital (incluindo a de Milei), e também na província de Buenos Aires, onde o ex-candidato presidencial José Luis Espert entrou no Congresso.

O autoproclamado novo libertário, que chegou a admitir que trabalhou para um membro genocida da última ditadura militar (1976-1983), foi visto eufórico no bunker que ele montou no teatro Luna Park, na capital. Seu partido terminou em um circo, com um guardião sacando uma arma e ameaçando um eleitor.

Nessas eleições, a Frente de Izquierda (Frente de Esquerda) também se destacou com uma eleição muito boa em vários distritos. Ganhou quatro cadeiras na Câmara dos Deputados e tornou-se a terceira mais forte a nível nacional, incluindo uma cadeira para a capital, que será ocupada pela legisladora Myriam Bregman.

Embora não tenha sido a melhor eleição, o executivo celebrou o fato de que os resultados negativos das primárias de setembro haviam sido revertidos em pouco tempo, especialmente na província de Buenos Aires, onde conseguiram fechar a lacuna.

Com o mapa político agora definido, uma etapa complexa está pela frente para o partido governista, cujos legisladores terão que defender até o fim cada projeto de lei que enviarem ao Congresso.

Focando os próximos 24 meses, o Presidente Alberto Fernández explicitou, como confirmou ontem, que continuará governando para todos, redobrando esforços para abordar as prioridades e resolver os problemas reais para a recuperação do país.

O primeiro desafio começa agora com o objetivo de construir um futuro baseado na recuperação econômica, na redução da inflação e na criação de empregos no âmbito de um diálogo construtivo.

É hora de resolver o problema derivado da dívida com o Fundo Monetário Internacional, assumida pelo governo que me precedeu, que é o maior obstáculo que enfrentamos, disse o presidente.

Após apelar para uma oposição responsável, aberta ao diálogo e patriótica, ele exortou a uma relação frutífera entre o Executivo e o Congresso no interesse geral do país.

Entre as medidas imediatas a serem tomadas, ele disse que o mais rápido possível se dirigirá aos representantes da vontade do povo e das forças políticas que eles representam, para chegar a um acordo sobre uma agenda que seja o mais compartilhada possível.

Ele também anunciou que na primeira semana de dezembro enviará ao Congresso um projeto de lei que explicitará o programa econômico plurianual para o desenvolvimento sustentável, o qual incluirá os melhores entendimentos que o governo alcançou com o FMI nas negociações que está realizando, sem renunciar ao crescimento econômico e à inclusão social.

Sem perder o foco e com o objetivo de colocar a Argentina de novo em pé, o presidente salientou que, nesta nova etapa que começa hoje, ele honrará o compromisso eleitoral assumido em dezembro de 2019. Acredito profundamente na Argentina, o pessimismo é contagioso, mas felizmente a esperança também, disse ele.

mem/may/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.