6 de December de 2021

NOTICIAS

Secretário da ONU pede que continue a luta contra a mudança climática

Secretário da ONU pede que continue a luta contra a mudança climática

Nações Unidas, 14 nov (Prensa Latina) O Secretário Geral da ONU, António Guterres, apelou para que a luta contra a mudança climática continue, justamente quando muitos ambientalistas estão hoje expressando fortes críticas aos resultados tépidos da reunião em Glasgow.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP26) terminou ontem à noite na cidade escocesa, após suas negociações terem levado mais tempo do que o esperado e com um documento final que não cobriu pontos críticos, de acordo com reportagens da mídia.

Minha mensagem para os jovens, comunidades indígenas, mulheres ativistas e todos aqueles que lideram a ação climática nunca é desistir, continue avançando, Guterres escreveu em sua conta oficial no Twitter.

“Eu sei que você pode ficar desapontado. Mas estamos na luta de nossas vidas e esta luta deve ser vencida”, acrescentou ele.

Em sua declaração final na COP26, o chefe da ONU saudou os compromissos assumidos, mas lamentou que contradições profundas ainda não tenham sido superadas.

Embora passos importantes tenham sido dados, a vontade política coletiva não foi suficiente para superar algumas contradições, disse ele.

Nosso frágil planeta paira na balança, ainda estamos à beira de uma catástrofe climática, é hora de adotar o modo de emergência ou a oportunidade de conseguir zero emissões será apenas isso, disse Guterres, que pediu o fim do uso do carvão.

O Secretário-Geral da ONU reafirmou sua convicção de que há uma necessidade urgente de acabar com os subsídios aos combustíveis fósseis e construir a resiliência das comunidades vulneráveis aos impactos do aqui e agora da mudança climática.

Há também a necessidade de cumprir o compromisso de US$ 100 bilhões de financiamento climático para apoiar os países em desenvolvimento, mas nenhuma dessas metas anteriores foi atingida em Glasgow, disse ele.

A declaração final foi adotada no sábado mais de 24 horas após o encerramento programado do evento, e após árduas negociações.

No último minuto, a delegação indiana conseguiu mudar a redação do texto sobre o carvão para uma chamada para “diminuir”, em vez de eliminar, seu uso em usinas que não têm a tecnologia para capturar e armazenar emissões.

Entre as novidades, o documento adotado pelos representantes dos quase 200 países participantes convida os países ricos a duplicar até 2025 suas contribuições financeiras para ajudar as nações pobres e vulneráveis a enfrentar e mitigar o impacto da mudança climática.

A declaração de Glasgow também convida os signatários do Acordo de Paris de 2015 a antecipar seus planos de redução de emissões para o próximo ano, com o objetivo de manter vivo o objetivo de limitar as temperaturas globais a 1,5 graus Celsius.

mem/ifb/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.