5 de December de 2021

NOTICIAS

Um espaço para sonhar e criar

Um espaço para sonhar e criar

Por Teyuné Díaz Díaz (*) Havana, 13 nov (Prensa Latina) Finca Marta é um projeto agroecológico que tem um impacto no desenvolvimento territorial baseado no conhecimento acumulado ao longo do tempo, e é atualmente o primeiro usuário privado inserido na Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel (ZEDM), na província de Artemisa.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O objetivo social deste empreendimento é a produção, processamento e comercialização de legumes, frutas e produtos apícolas, com a intenção de criar uma comunidade agrária sustentável, explicou o líder da iniciativa Fernando Funes à Cuba Internacional.

A ideia é criar um núcleo para gerenciar todo esse desenvolvimento em escala territorial, e para isso pretendemos criar uma rede de fazendas – das quais cerca de 60 já foram registradas – com seus programas, projetos de plantio e colheita e seus ciclos de produção, acrescentou ele.

Mas o caminho para a ZEDM foi longo. Funes, um engenheiro por formação, formado pela Universidade Agrária de Havana, com cerca de 25 anos de experiência como pesquisador e professor, decidiu um dia aplicar seus conhecimentos no campo cubano.

Depois de visitar cinco continentes, mais de 40 países, encontrando centenas de agricultores ao redor do mundo – dos mais desenvolvidos aos menos desenvolvidos – ele percebeu que não havia colocado em prática os conhecimentos adquiridos “e isso era uma lacuna em minha formação profissional”, disse ele.

A ideia do projeto veio quando ele estava completando 40 anos, uma idade em que se quer fazer algo diferente com a vida, brincou ele.

Foi uma decisão familiar”, lembrou ele, “e embora eu tivesse total apoio, significava um passo muito arriscado para investir nossas economias, para abrir mão do conforto acadêmico, para me adaptar aos esforços físicos gerados pelo trabalho agrícola, o que na primeira etapa me fez perder cerca de 30 libras”.

No entanto, eles colocaram todas as suas energias no “sonho” e começaram a transformação daquele lugar abandonado em condições muito precárias.

“A iniciativa então começou a fazer cada vez mais sentido, a relação com o meio rural, com os trabalhadores e, a nível pessoal, minha visão profissional foi enriquecida e entendi as coisas de maneira diferente”, disse ele.

Após 10 anos, ele agora valoriza o enorme sacrifício pessoal, a renúncia aos prazeres da vida urbana e a adaptação à área agrícola: uma mudança de impacto social além das boas práticas de produção, o manejo da tecnologia e a gestão econômica de uma fazenda.

A Finca Marta gera, processa e comercializa uma ampla gama de ofertas da horticultura, produção animal, apicultura com o uso de fontes de energia renováveis e conservação da natureza.

NA ZEDM

Funes e sua equipe agora enfrentam um novo desafio após sua inserção na Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel, onde tiveram que aprender a lidar com o que chamam de “outro nível de organização, outras estruturas organizacionais e envolvimento com muito mais atores”.

“De nossa parte”, informou o engenheiro, “em breve construiremos um centro de processamento de frutas e produtos apícolas para comercialização em vários segmentos de mercado: a população, restaurantes, lojas, centros comerciais, exportações e empresas na ZEDM”.

A partir deste novo empreendimento, a Finca Marta pretende atuar como um conector da agricultura neste território.

“Estamos nos preparando para exportar”, acrescentou o líder deste coletivo, “mas para atingir este objetivo precisamos primeiro saber como o produto funciona no mercado interno, garantir sua competitividade, assinar contratos, estudar a concorrência internacional, e também garantir a sustentabilidade do ponto de vista da produção”.

No momento, eles já assinaram um acordo de fabricação cooperativa com a Empresa Apícola Cubana, para a qual eles têm que vender cerca de 10 toneladas de méis da fazenda por ano, e também estão trabalhando em conjunto com o Centro de Pesquisa Apícola.

“Estes resultados confirmam como as ligações entre os setores privado e estatal podem funcionar”, ressaltou Funes.

O empresário confessou que além do valor nutricional do mel e da importância do equilíbrio ambiental dos ecossistemas, Finca Marta lhe permitiu compreender o sacrifício que o trabalho dos apicultores exige, pois na última década milhares de abelhas o picaram.

No entanto, ele enfatiza que sente orgulho e prazer porque acredita que “você tem que aprender fazendo”.

mem/jcm/tdd/vmc

(*) Jornalista da seção de Economia da Prensa Latina. (Extraído de Cuba Internacional No. 478).

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.