30 de November de 2021

NOTICIAS

UE condena ataque a civis no Mianmar

ataque a civis no Mianmar

UE condena ataque a civis no Mianmar

Bruxelas, 8 nov (Prensa Latina) A União Europeia (UE) condenou hoje os ataques do exército do Mianmar contra civis e vilarejos no Estado de Chin (oeste) pelo que descreveu como "uso desproporcional da força".
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“As autoridades militares devem garantir acesso humanitário rápido, seguro e sem obstáculos a todos os deslocados e necessitados do país”, disse o Alto Representante da UE para Política Externa, Josep Borrell, em uma declaração.

A atual acumulação militar na parte central e noroeste do país, incluindo as regiões Sagaing e Magway, e a consequente escalada da violência, especialmente no estado de Chin, é uma questão de profunda preocupação, acrescentou.

Um golpe militar em 1 de fevereiro derrubou à força o governo civil eleito em novembro de 2020, que a UE considera “uma violação flagrante da vontade do povo, com consequências humanitárias, sociais, econômicas e de direitos humanos desastrosas”.

O bloco da UE também questiona o anúncio da prorrogação do estado de emergência no país asiático até agosto de 2023, mascarado, segundo a UE, sob o pretexto de um governo interino.

Tal situação não pode de forma alguma conferir legitimidade ao regime militar, ressaltou o mecanismo da UE.

O comunicado expressa o compromisso de prestar assistência humanitária ao país e pede a libertação “imediata e incondicional” de todos os detidos após o golpe que depôs o presidente Win Myint, que ainda está preso junto com a conselheira estadual Aung San Suu Kyi.

Nos nove meses desde o golpe, a repressão das forças de segurança resultou em 1.242 mortes, de acordo com a Associação de Assistência aos Prisioneiros Políticos de Mianmar.

O exército nacional justificou a revolta citando uma suposta fraude maciça durante uma eleição geral há um ano, que foi anulada e na qual a Liga Nacional para a Democracia, o partido de Suu Kyi, obteve uma vitória clara, de acordo com os observadores.

mem/ehl/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.