6 de December de 2021

NOTICIAS

China reduzirá voos internacionais até março de 2022

china-reduzira-voos

China reduzirá voos internacionais até março de 2022

Beijing, 2 nov (Prensa Latina) A China vai reduzir de 644 para 408 os voos internacionais que partirão e chegarão em seu território do próximo inverno até março de 2022, como parte de sua estratégia contra a Covid-19, que acontece aqui hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Segundo diversos relatos, as autoridades da aviação civil tomaram a decisão em correspondência com o mecanismo do Governo de prevenção e controle da doença e do coronavírus SARS-CoV-2, que a causa.

Também indicaram que a China continuará a ajustar as provisões de saúde, à medida que a pandemia evolui no resto do mundo.

A medida se traduzirá em uma queda de 21,1% no número total de voos disponíveis e também aumentará a incerteza sobre quando as fronteiras serão reabertas para estrangeiros.

A sua implementação também coincidirá com as etapas de preparação, desenvolvimento e encerramento do 24° Jogos Olímpicos de Inverno e Paralímpicos de Beijing 2022, a serem realizados entre fevereiro e março.

A China exige que os passageiros com planos de viajar ao país apresentem resultados negativos nos testes de anticorpos e PCR, realizados 48 horas antes do voo e em centros de assistência homologados por suas embaixadas, que por sua vez emitem um certificado para embarcar no avião.

Além de outros requisitos, coloca os passageiros em quarentena por até 21 dias em locais designados e passa por vários testes para verificar se eles estão saudáveis.

O país mantém uma política de tolerância zero contra a Covid-19 e, atualmente, o surto em 16 províncias desencadeou casos autóctones desde meados de outubro.

Essas demarcações reforçaram as restrições à mobilidade, às atividades públicas e ao transporte interprovincial, e até Beijing pediu aos residentes que evitassem deixar a cidade e adiassem suas viagens de retorno para outras regiões, caso estivessem em locais com infecções recentes.

Quem já retornou à capital deve notificar suas respectivas comunidades e centros de trabalho, mas também se submeter ao isolamento.

Todas as demarcações afetadas também recorrem ao confinamento de cidades inteiras, à vacinação de crianças dos três aos 11 anos e à aplicação de uma terceira dose para reforço do sistema imunológico.

Neste dia, a China notificou 84 casos entre confirmados e assintomáticos, a maioria deles infecções por SARS-CoV-2 por transmissão local e com a variante Delta.

Em geral, o gigante asiático acumula 4.696 mortes e 126.155 infectados em seu continente, Hong Kong, Macau e Taiwan desde o surgimento da doença e do coronavírus que a causa.

Desde o ano passado, o país vacinou mais de dois bilhões de cidadãos nacionais e estrangeiros contra a Covid-19 com seus próprios imunizantes, enquanto manteve o envio para centena de países por exportação ou ajuda.

npg/ymr/cm

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.