27 de November de 2021

NOTICIAS

Rejeição do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba ganha terreno

Rejeição do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba ganha terreno

Washington, 1 nov (Prensa Latina) A atuação de grupos solidários e cubanos nos Estados Unidos ganha hoje espaço para levar a todos os setores o repúdio ao bloqueio a Cuba.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Desde a marcha iniciada pelo movimento Bridges of Love em Miami, Flórida, que este ano viajou milhares de quilômetros até Washington DC., as ações para levar a todos os setores sociais a mensagem do injusto e do ilegal da política norte-americana não pararam.

Estamos no coração de Miami, ¡Viva la familia cubana!, ¡Sob o bloqueio!, Disse o ativista Carlos Lazo, coordenador do Puentes de Amor, segundo um vídeo transmitido na rede social Twitter como um sinal do esforço de divulgação a mensagem.

Neste domingo, uma caravana no estado de Connecticut condenou as ameaças de violência contra Cuba e exigiu o fim do cerco. Um grupo de organizações se manifestou contra estas medidas e denunciou verticalmente as conspirações e esquemas violentos e ilegais contra o governo e o povo cubano, especifica um relatório publicado nas redes sociais.

Essas ações ocorreram nos últimos meses em cinco cidades de Connecticut, incluindo a capital do estado, Hartford, ressaltando o objetivo de esclarecer a injustiça da política da Casa Branca intensificada durante o governo Donald Trump com suas mais de 240 ações punitivas contra a ilha.

Greater Hartford Cuba Solidarity Committee, Connecticut Peace and Solidarity Coalition, Greater New Haven Peace Council, Unidad Latina en Acción, Vecinos Unidos, Latin America Solidarity, Green Party of Connecticut, Veterans for Peace Connecticut. NEMO – No Embargo Cuba Movement, estiveram nos protestos.

Os grupos expressaram solidariedade a Cuba e rejeição das intrigas para criar violência e ilegalidade criminal na ilha, política promovida com financiamento dos Estados Unidos em suas chamadas políticas de golpe suave para mudar o curso político da ilha, indicaram em mensagens nas redes sociais.

Alex Koskinas, o principal organizador dos atos em defesa de Cuba em Connecticut, falou claramente contra a intenção de subverter a ordem na ilha e deixou claro que um número significativo de cubanos residentes nos Estados Unidos se opõe firmemente a tais conspirações anticubanas.

Assim como em Connecticut, aos domingos os eventos aconteceram em outras cidades do país, incluindo Miami, Los Angeles, São Francisco e outras partes do mundo como Holanda, Bélgica, Paraguai, Reino Unido, entre outras.

mem / lb / ls

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.