28 de November de 2021

NOTICIAS

O capitalismo não será a solução para a crise climática,diz Luis Arce

Luis Arce Bolivia COP26

O capitalismo não será a solução para a crise climática,diz Luis Arce

Londres, 1 nov (Prensa Latina) O presidente da Bolívia, Luis Arce, disse hoje que a solução para a crise da mudança climática não será mais capitalismo verde e mais mercados globais de carbono.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“A solução está em mudar o modelo de civilização e avançar para um modelo alternativo ao capitalismo, que é o horizonte civilizador de Viver Bem em harmonia com a Mãe Terra”, enfatizou o presidente ao falar na Cúpula sobre Mudança Climática.

Arce enfatizou que os países desenvolvidos estão promovendo um “novo processo de recolonização global”, que ele chamou de “novo colonialismo do carbono”, tentando impor suas próprias regras do jogo nas negociações climáticas e assim alimentar o “novo capitalismo verde”.

Ao fazer isso, disse ele, eles querem que os países em desenvolvimento “tenham que aceitar estas regras do jogo sem nenhuma escolha”.

Estamos frustrados ao ver que ainda existe uma estrutura global que ainda não definiu uma solução global para a crise climática, disse o presidente, e afirmou que este é o principal problema a ser enfrentado “para a defesa da humanidade e da vida na Mãe Terra”.

Ele lamentou que estudos científicos e relatórios do secretariado da convenção mostrem que os Estados ainda estão muito longe de atingir as metas para enfrentar “a crise climática global”.

Referindo-se à Bolívia, o presidente salientou que estão concluindo a preparação de uma Contribuição Determinada nacionalmente para 2030, que ratifica o compromisso contra “a crise climática nos setores de água, energia, silvicultura e agricultura”.

Esta estratégia está contida nos cinco eixos estabelecidos na proposta do Estado Plurinacional, juntamente com o enfrentamento estrutural da crise ambiental a partir da perspectiva dos povos e o urgente apelo da Mãe Terra para combater esta situação.

Também inclui o desenvolvimento de ações abrangentes para desafiar a crise climática e a defesa da vida, e a defesa da comunidade da vida.

O chefe de Estado sul-americano questionou a falta de “compromisso real” dos países desenvolvidos diante da emergência e denunciou que as medidas adotadas até agora “ficam muito aquém” dos compromissos assumidos há seis anos no Acordo de Paris.

Ele criticou a hipocrisia e a falta de compromisso do chamado Primeiro Mundo com o equilíbrio das emissões de carbono até 2050 e apelou para o cumprimento das metas para sua redução, de acordo com o que foi acordado na capital francesa, para o qual eles devem transferir os recursos financeiros necessários para o mundo em desenvolvimento, disse ele.

Através do modelo de Vivir Bien ou Buen Vivir, a Bolívia propõe viver em harmonia e equilíbrio com os ciclos da Mãe Terra, o cosmos, a vida e a história na forma de existência, de acordo com fontes oficiais.

jha/jcd/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.