27 de November de 2021

NOTICIAS

Crise política em Portugal obriga a repensar as greves

Crise política em Portugal obriga a repensar as greves

Lisboa, 29 out (Prensa Latina) A crise política decorrente da desaprovação do orçamento do Estado para 2022 obrigou hoje vários sindicatos portugueses a repensar o apelo a várias greves que estavam marcadas para o início de novembro.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

São os sindicatos de médicos, enfermeiros, professores e da Frente Comum (administração pública) que anunciaram manifestações pelas quais consideram que o projeto orçamentário (com 117 votos contra, 108 a favor e cinco abstenções) afetou os setores representados.

Pessoal de saúde, professores e administração pública vão decidir na próxima semana os passos a seguir após a crise política devido à desaprovação do governo socialista de Antonio Costa, que insistiu que não renunciaria e seria candidato em possíveis eleições antecipadas.

Os enfermeiros e professores tinham marcado a sua greve para a próxima semana e os da Frente Comum para o dia 12. Enquanto os do Metrô de Lisboa decidiram avançar com as suas greves parciais nos dias 2 e 4 de novembro.

Entretanto, a direção da Assembleia da República (parlamento) anunciou na véspera que funcionará normalmente até à provável decisão do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa de dissolvê-la.

Após o voto negativo dos legisladores nesta quarta-feira, o presidente se reuniu à noite com Costa e com o presidente da Assembleia Eduardo Ferro Rodrigues. Entretanto, marcou para esta sexta-feira reuniões com representantes da Sociedade Civil (sindicatos, centrais e associações).

Entretanto, deixou reuniões separadas para amanhã, às 14h00, hora local, com os dirigentes dos partidos com representação na legislatura, que começarão com os da Iniciativa Liberal Chega (Basta) e o Partido Ecologista Os Verdes.

Seguem o Pessoas-Animais-Natureza, o CDS-Partido Popular e o Partido Comunista Português (PCP), para além do Bloco de Esquerda, o Partido Social-Democrata, e encerra com o Partido Socialista às 20h30 hora local.

Na quarta-feira, ele também conduzirá a reunião do Conselho de Estado no Palácio de Belém (Palácio Presidencial) de acordo com as disposições da Constituição da República.

O projecto orçamental recebeu críticas de quase todo o arco político português por ser insuficiente para a recuperação econômica após a pandemia de Covid-19, que em Janeiro passado teve os piores números de toda a União Europeia (UE) e poderá produzir um ressurgimento de casos e mortes nos próximos mês.

Desde o início da doença no país ibérico foram afectados 1,09 milhões de portugueses, e destes, mais de 18.100 morreram.

acl / ro / hb

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.