5 de December de 2021

NOTICIAS

Cresce rejeição à expansão de assentamentos de Israel na Cisjordânia

Cresce rejeição à expansão de assentamentos de Israel na Cisjordânia

Ramallah, 29 out (Prensa Latina) Israel enfrenta hoje duras críticas da comunidade internacional após anunciar a construção de 3.144 novas unidades habitacionais para colonos judeus na Cisjordânia ocupada.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Em uma declaração conjunta, a França, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, Irlanda, Itália, Noruega, Holanda, Polônia e Suécia exortaram Tel Aviv a suspender a construção.

Reiteramos ‘nossa forte oposição à política de expansão dos assentamentos nos territórios palestinos ocupados, que viola o direito internacional e mina os esforços para a solução de dois Estados’, disse um comunicado conjunto desses países.

O governo britânico disse que os assentamentos são ilegais sob o direito internacional e representam um obstáculo à paz e estabilidade regional.

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo, também rejeitou tais construções, dizendo que tais ações unilaterais minam as chances de criação de um Estado palestino viável.

Enquanto isso, o Japão deplorou ‘a continuação das atividades de assentamento por parte do governo israelense, apesar dos repetidos apelos para o congelamento de tais atividades’.

A Liga Árabe, o Egito e a Jordânia também denunciaram a colonização israelense de terras palestinas.

Segundo a organização não-governamental israelense Peace Now, fundada por ex-militares, mais de 665.000 colonos judeus vivem na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, espalhados por 145 assentamentos e 140 postos avançados para futuras colônias.

jha/rob/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.