11 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Sua majestade o danzón

Sua majestade o danzón

Por Jorge Petinaud Martínez
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Havana, 24 out (Prensa Latina) Gênero músico-dança cubana por excelência, o danzón nasceu de um grupo de dança do mesmo nome, que já em 1855 gozava da preferência dos festeiros da província ocidental de Matanzas.

Segundo o romancista e musicólogo Alejo Carpentier, esse ritmo foi consagrado como uma nova forma de representação ‘pelo músico Matanzas Miguel Faílde, que em junho de 1877 compôs quatro obras intituladas El delirio, La ingratitud, Las reclamações y Las Alturas de Simpson’, este último em alusão ao apelido de Luís, o organizador dessas festas sociais, que pedia ao maestro que escrevesse melodias ajustadas à intenção dos bailarinos.

Ao escrever aquela música tive a ideia da dança que hoje se chama danzón, explicou Faílde referindo-se a esse tipo de composição mais descontraída e ajustada ao clima quente da maior das Antilhas, em que os casais se encontravam. Definitivamente ligados e separados das evoluções das figuras.

Gostou tanto dessa expressão que, apesar da rejeição das autoridades coloniais espanholas por considerá-la ‘uma coisa de negros e infantes’, tornou-se muito popular na ilha.

Em seu Dicionário Enciclopédico de Música em Cuba, Radamés Giro assegura que até 1920 – ‘momento considerado um divisor de águas com a irrupção do filho interpretado pelo Sexteto Habanero’, não houve acontecimento que não fosse glosado ou celebrado com o considerada dança nacional.

José Urfé, arconte de uma dinastia de músicos brilhantes, completou a estrutura posterior do gênero em 1910 ao criar El bombín de Barrerto, peça em cuja última parte introduziu o elemento sonero rítmico.

A partir daí enriqueceram-se ao danzón nuances musicais lucrativas, como os boleros da moda, proclamações de rua, influências norte-americanas e espanholas, árias de óperas e até melodias chinesas.

OS FORMATOS

Escrito em compasso dois por quatro, junto com a quadrilha e a dança, o ritmo deu origem ao primeiro protótipo de um popular conjunto instrumental no país caribenho: a típica orquestra de sopros, que no século XIX era formada por uma corneta, um trombone, uma figue, um eufônio, dois clarinetes, dois ou mais violinos, um contrabaixo, um par de tambores ou pailas crioulas e um güiro.

No século seguinte, surgiu outro conjunto instrumental conhecido como charanga francesa, que incluía piano, flauta de madeira de cinco teclas, inicialmente apenas violino e mais tarde também viola e violoncelo, contrabaixo, tímpanos crioulos e güiro.

No final da década de 1920, ao fundir o filho com o danzón e incorporar um cantor, Aniceto Díaz criou o danzonete; em meados da década de 1930, a orquestra Antonio Arcaño deu moda ao novo ritmo danzón e dessa expressão musical derivaram o mambo, posteriormente tornado independente por Dámaso Pérez Prado, e o cha-cha, do qual o violinista, compositor e maestro Enrique Jorrín se tornou seu estilo. Jazzistas de estatura internacional como Chucho Valdés, Gonzalo Rubalcaba, Emiliano Salvador e Alejandro Falcón criaram e enriqueceram com harmonias e timbres contemporâneos obras não só para piano mas também para grupos de diferentes formatos instrumentais, baseados neste gênero cuja majestade foi ratificada em 2013, por ser incluído na lista do Patrimônio Cultural intangível da nação.

mem / jpm / ls

(Retirado do Prisma)

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.