1 de December de 2021

NOTICIAS

Novo diretor da polícia do Haiti promete combater a insegurança

Novo diretor da polícia do Haiti promete combater a insegurança

Porto Príncipe, 22 de out (Prensa Latina) O recém-empossado diretor da polícia do Haiti, Frantz Elbé, prometeu combater a insegurança e as gangues armadas, enquanto o país mergulha na violência hoje com um número crescente de sequestros e assassinatos.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Elbé substituiu León Charles, que sob seu comando permitiu assassinatos, não conseguiu deter as gangues e o fortalecimento da facção policial Fantom 509, grupo acusado de agredir instituições públicas e de cometer o massacre de junho passado no qual morreram cerca de vinte pessoas.

De acordo com o novo diretor da polícia, suas prioridades são o combate ao banditismo, o desmantelamento de gangues e o combate ao tráfico ilícito de armas.

O primeiro-ministro Ariel Henry reconheceu que o país vive um ciclo de violência e pediu a Elbé que restabelecesse a ordem e melhorasse a situação.

‘Nosso objetivo é realizar eleições, mas para realizá-las é necessário segurança. É hora de trabalhar’, disse Henry, que ainda não fez uma declaração pública sobre o recente sequestro de missionários dos Estados Unidos e Canadá.

Elbé assume o cargo em meio à insegurança generalizada, com quase 800 sequestros registrados até agora este ano, mais de cem mortes em junho devido ao confronto entre as gangues e cerca de 19.000 deslocados internos pela violência das gangues.

Também em meio a incipientes movimentos de protesto que exigem que o Governo restaure o clima de paz.

No dia anterior, motociclistas saíram às ruas erguendo barricadas e interrompendo o trânsito para exigir que os postos de gasolina reabrissem em meio a um racionamento de combustível insistente que dura desde junho.

A crise se agrava com a convocação de greve dos motoristas de derivados de petróleo em protesto contra o sequestro de alguns de seus integrantes.

Por sua vez, várias organizações sindicais anunciaram para a próxima segunda-feira a Operasyon f¿men peyi (Operação país fechado) para denunciar a insegurança, a escassez de combustível e exigir que Henry assuma suas responsabilidades.

jha / ane / mmd

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.