5 de December de 2021

NOTICIAS

A poetisa colombiana Angela García ganha prêmio na Espanha

A poetisa colombiana Angela García ganha prêmio na Espanha

Madri, 20 de out (Prensa Latina) A palavra liba, da autora colombiana Ángela García, ganhou o XXI Prêmio Casa de América de Poesia em virtude de 'um feliz cruzamento de culturas e estilos', hoje transcende.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

O júri, composto por Enrique Ojeda Vila, diretor-geral da Casa de América; Rolando Kattán, vencedor do prêmio em 2020; Benjamín Prado, escritor e poeta; Javier Serena, diretor de Cuadernos Hispanoamericanos e Jesús García Sánchez, Editorial Visor Libros, elogiou o trabalho de García por seus valores.

‘(…) a tradição americana e europeia converge e em que sensualidade e intensidade se misturam, a crônica íntima do desejo e suas perdas e o compromisso ético coexiste com a estética’, considerou o júri.

A sua escrita elegante e contida, bem como a criação de um clima emocional confessional, também fora decisiva na resolução.

De acordo com o comunicado de imprensa, o prémio é promovido pela Casa de América com o objetivo de estimular a escrita poética nas americas, e está dotado com cinco mil euros e inclui a publicação da obra da Editorial Visor Libros.

Ao redor de Angela García, ela é poetisa e tradutora, cofundadora do Festival Internacional de Poesia de Medellín e co-diretora do mesmo até 1999.

Membro da Southern Writers Association, com sede em Malmö, Suécia, onde promove atividades poéticas, também faz parte do conselho editorial da revista La Otra en México. Atualmente dirige Vñrldspoesidagen i Malmö / Lund (Dia Mundial da Poesia em Malmö e Lund).

Autor de Entre leño y llama, 1993; Face of Water, 1997; Farallón Constelado / Sternige Klippe, 2003; Da transitoriedade / Om flyktigheten, bilíngue, 2005; Vinte graus de latitude em três horas, bilíngüe, (Smederevo, 2006); Doze poemas sobre o silêncio, 2009; Everything I Love Is Born Continuously, 2010; Retábulos do movimento, 2013, entre outros.

Nesta edição, a Casa da América recebeu 924 manuscritos de 27 países, sendo 24% da Argentina, 11% do México e 12% da Colômbia.

Entre os vencedores anteriores do prêmio estão o peruano Eduardo Chirinos com Breve História da Música; Claudia Masín, da Argentina, La vista; o equatoriano Edwin Madrid, mordendo o frio; o mexicano Marco Antonio Campos, sexta-feira em Jerusalém; e o chileno Oscar Hahn, em um piscar de olhos. ‘scar Hahn (Chile).

Da mesma forma, o argentino Jorge Boccanera, Palma real; os colombianos Juan Manuel Roca (Bíblia dos Pobres) e Piedad Bonett (Explicações não solicitadas) e o cubano Waldo Leyva, El rumbo de los dias.

mem / ft / fav

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.