3 de December de 2021

NOTICIAS

Votos no Uruguai contra a desigualdade na semana parlamentar

Votos no Uruguai contra a desigualdade na semana parlamentar

Montevidéu, 16 out (Prensa Latina) A Frente Ampla do Uruguai votou durante a semana contra a Responsabilidade Orçamentária do governo, cuja proposta de política econômica considera que hoje está aprofundando a desigualdade.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Do lado da força esquerdista, o senador Oscar Andrade perguntou em um debate parlamentar sobre a base para ter deteriorado os salários dos trabalhadores em setores que cresceram e a quantidade que caiu abaixo da linha de pobreza aumentou.

Um dos pontos mais controversos foi a retirada de 30 milhões de dólares do Instituto Nacional de Colonização (INC) para desviá-lo para assentamentos suburbanos irregulares e, diante da oposição de legisladores pró-governamentais, o governo realocou 15 milhões de dólares de outros itens de despesa.

Trabalhadores rurais e colonos uruguaios acamparam do lado de fora do Palácio Legislativo para protestar contra um orçamento que corta fundos para comprar e arrendar terras para famílias rurais.

Luis López, membro do sindicato do açúcar no departamento de Artigas, disse que concordava com a causa dos assentamentos, mas criticou que ‘eles colocam pobres contra pobres, porque podem conseguir dinheiro de outro lugar’.

Em uma visita ao país, o ex-presidente uruguaio José Mujica disse que o que foi reservado no parlamento para o Instituto Nacional de Colonização (INC) ‘é um remendo do governo para consertar a frente interna’.

Nos últimos dias da prestação de contas, a União Médica do Uruguai manifestou preocupação com o aumento zero nas alocações para a Administração Estatal de Serviços de Saúde (ASSE), apesar do fato de que desde o Covid-19, milhares de pessoas abandonaram companhias de seguro mútuo privadas por serem impagáveis e mudaram para serviços públicos.

Por outro lado, o Comitê Coordenador Popular e Solidário (CPS) se manifestou diante do Ministério do Desenvolvimento Social (Mides) para denunciar os alimentos em más condições e a redução de cotas para as cozinhas de sopa.

No Dia Mundial da Alimentação, especialistas citados pelo CPS indicaram que a insegurança alimentar severa no Uruguai é de 6,4% e a insegurança alimentar moderada é de 23,2%.

No final da semana, os três candidatos presidenciais da Frente Ampla fizeram campanha pela revogação de 135 artigos da Lei de Consideração Urgente (LUC) em um referendo.

Fernando Pereira, Ivonne Pasada e Gonzalo Civila, juntos em um Comando, concentraram-se nas mobilizações futuras para apontar os aspectos negativos da LUC, o que permitirá a construção de uma maioria para revogá-las.

Alejandro Sánchez, senador do PLD, estimou que a coleta de quase 800.000 assinaturas para permitir o referendo impediu uma nova reforma previdenciária que traria mais cortes nos direitos ‘e temos que ganhar este referendo para que este governo não se atreva a mexer com as pensões das pessoas’.

msm/hr/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.