13 de August de 2022
nombre generico prensa latina

notícia

nombre generico prensa latina
Bandera portugal
Edição Portuguesa

NOTICIAS

Povos indígenas Bribri exigem reconhecimento no Panamá

Povos indígenas Bribri exigem reconhecimento no Panamá

Panamá, 16 out (Prensa Latina) O povo nativo Bribri mais uma vez exigiu o reconhecimento de seu território ancestral no canto noroeste do Panamá, na bacia do rio Sixaola binacional, em Bocas del Toro, foi anunciado aqui hoje.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Este grupo étnico quer tornar visível sua realidade social, política, econômica, cultural e tradicional, que até agora não foi considerada, disse o rei Bulú do povo Bribri, Joaquín González, em recente reunião, na qual reiterou a luta para preservar o território de sua tribo para as próximas gerações.

O líder indígena assegurou que eles insistem que o Governo Nacional lhes conceda o título de Propriedade Coletiva do Território, de acordo com a Lei 72 de 2008, porque atualmente eles não têm segurança e proteção do que consideram suas terras, invadidas por colonos e outros grupos étnicos indígenas, ele denunciou.

‘Exigimos a segurança de nosso território porque somos os verdadeiros conservadores e protetores de nossa mãe terra, prova disso é que a terra Bribrí continua sendo um pulmão importante de nossa floresta na região’, enfatizou o líder indígena Ilka Ábrego.

O antropólogo Kevin Sánchez, apresentou na reunião a pesquisa ‘O Povo Bribri do Panamá, Território Ancestral e Sítios Sagrados’, realizada por vários especialistas, o que reforça a presença deste grupo no Panamá, com sua própria identidade.

Eles mantêm um legado ancestral inconfundível, com a conservação de seus locais sagrados, montanhas, riachos, rios, fontes termais e lugares de seus antepassados, disse ele, acrescentando que eles preservam sua população, que no censo de 2000 era de 2.521 habitantes e foi reduzida para 1.68 no último estudo demográfico de 2010.

É a população menos numerosa dos oito grupos indígenas panamenses identificados nos censos, que também incluem os Kuna, Ngñbe, Buglé, Teribe/Naso, Bokota, Emberá e Wounaan, cinco deles com comarcas sob sua própria administração.

Há décadas, especialistas vêm debatendo se esses povos nativos pertencem apenas à Costa Rica, pois é onde se concentra a maioria deles, mas aqueles que defendem a visão oposta afirmam que, na época da chegada dos colonizadores espanhóis, parte do grupo étnico vivia no que hoje é a província de Bocas del Toro.

A cordilheira de Talamanca se estende aos dois países, assim como o rio Sixaola e seu afluente, o Yorkín, em cujas montanhas e margens essas pessoas estão estabelecidas desde os tempos pré-colombianos, onde preservaram sua língua e religião até os dias de hoje, como parte de sua cultura, de acordo com estudiosos.

Lendas ancestrais transmitidas oralmente do lado costarriquenho referem-se à Ú-suré (casa cósmica) e Suláyöm (cordilheira Talamanca) como referências simbólicas e físicas que se misturam entre o ancestral e o cristão, pois o primeiro é um templo cônico que representa o Universo e um lugar de reflexão, paz e segurança.

Enquanto Suláyöm é o centro da terra e do céu, um lugar sagrado por excelência, onde SiböÌ (Deus criador da terra e do homem) trouxe as sementes de milho, plantou-as em pares e de lá nasceram os Bribrí.

msm/orm/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO
Logo Horizontal Prensa LAtina

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.