27 de November de 2021

NOTICIAS

Canadá criticado por dificultar a produção e exportação de vacinas

Canadá criticado por dificultar a produção e exportação de vacinas

Ottawa, 8 out (Prensa Latina) O governo canadense está obstruindo a concessão de uma licença obrigatória para produzir vacinas contra a Covid-19 e enviá-las a países como a Bolívia, denunciaram autoridades desse país sul-americano aqui.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

É hora de tomar decisões em nome da humanidade, disse Benjamín Blanco, vice-ministro boliviano de Comércio Exterior e Integração do Ministério das Relações Exteriores, em entrevista ao Global News.

O funcionário explicou que há cinco meses eles pediram ao Canadá que autorizasse a Biolyse Pharma, sediada em Ontário, a exportar vacinas da Johnson & Johnson para a Bolívia, onde menos de 30% das pessoas estão totalmente imunizadas.

Blanco reiterou seu pedido de que o governo do Primeiro Ministro Justin Trudeau anulasse a isenção de patentes e emitisse uma licença compulsória para permitir a fabricação dos medicamentos.

A deputada canadense Niki Ashton, do Novo Partido Democrata, levou à sua conta no Twitter para denunciar como seu país prioriza sua relação com a Big Pharma em relação ao cumprimento de suas obrigações de direitos humanos.

John Fulton, vice-presidente executivo da Biolyse Pharma, reconhece que existe um mecanismo legal pelo qual eles puderam dar-lhes permissão para fabricar as vacinas: o Regime de Acesso a Medicamentos do Canadá.

Outro obstáculo é o Acordo sobre Aspectos dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados ao Comércio, que protege a patente da Johnson & Johnson sobre sua vacina e proíbe o fabricante de medicamentos de produzi-la.

Um porta-voz para Inovação, Ciência e Desenvolvimento Econômico do Canadá disse à Global News que eles estão cientes do interesse em relaxar a propriedade intelectual para aumentar a produção de vacinas, mas não comentou as preocupações da Bolívia.

O governo boliviano afirma ter assinado um contrato para importar 15 milhões de doses após a licença compulsória para a empresa farmacêutica, e apresentou provas de que o país sul-americano não tem capacidade para produzir o injetável contra a Covid-19.

jha/avr/vmc

minuto por minuto
NOTAS RELACIONADAS
ÚLTIMO MINUTO

© 2016-2021 Prensa Latina
Agência Latino-americana de Notícias

Rádio – Publicações – Vídeos – Notícias a cada minuto.
Todos os Rigts Reservados.

Rua E No 454, Vedado, Havana, Cuba.
Telefones: (+53) 7 838 3496, (+53) 7 838 3497, (+53) 7 838 3498, (+53) 7 838 3499
Prensa Latina © 2021.